"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

terça-feira, 10 de maio de 2011

92- Problemas com a medicação do TDAH: Por que a receita pode não ser eficiente

Alergias, sensibilidade a alimentos e o metabolismo são algumas das razões por que a sua receita de medicamento para o TDAH pode não funcionar! Como atingir uma dosagem que seja eficiente para você. Por Charles Parker.

O que é a taxa de queima do medicamento?

Charles Parker: O termo se refere à maneira como os medicamentos para o TDAH funcionam biologicamente, como eles se queimam em seu corpo. A taxa de queima é uma medida aproximada de quão saudável ou disfuncional é o seu metabolismo. Seu estado metabólico modifica significativamente a duração efetiva dos medicamentos para o TDAH. Tive uma paciente adulta que usou vários medicamentos em doses diferentes desde a infância. Cada medicamento funcionava por um tempo e, então, tornava-se ineficaz. Ela pensava que era um caso intratável. Descobri que ela tinha sensibilidade ao glúten, o que afetava o modo como os medicamentos agiam em seu organismo. Ao evitar alimentos com glúten, ela livrou-se do problema.

A maioria dos médicos sabe das taxas de queima?

CP: Não o bastante. Um médico que leva em conta as taxas de queima quando prescreve um medicamento livra o paciente de anos com problemas. Sem a lembrança das taxas de queima, os medicamentos podem não funcionar bem, e você pode ficar frustrado. Muitos adultos simplesmente param o tratamento.

O que mais afeta as taxas de queima?

CP: Alergia ao amendoim, caseína e outros alimentos pode afetar a taxa de queima, como afetam as interações com outras drogas e fatores genéticos, assim como o tamanho de suas vias metabólicas. Os médicos deveriam levar tudo isso em conta quando receitam medicamentos. Metabolismo fraco pode bloquear a quebra de um medicamento ou evitar a sua assimilação.

Qual o modo simples de avaliar a taxa de queima?

CP: Sempre pergunto a cada paciente novo, “Quantas vezes ao dia você evacua”? Muitos problemas entéricos afetam o seu metabolismo – e o metabolismo afeta a dosagem da medicação receitada. Um metabolismo lento resulta em queima mais lenta do medicamento para o TDAH, e causará a necessidade de doses menores que as usuais.

Seu conselho para os profissionais?

CP: Não há nenhuma receita de bolo, porque cada pessoa tem uma taxa diferente de queima. Faça a prescrição de acordo com cada paciente, levando em conta a sua taxa de queima.

Este artigo foi publicado no número Summer 2011 de ADDitude

Nenhum comentário:

Postar um comentário