"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

domingo, 31 de julho de 2011

125- Ajudando Pré-Adolescentes com TDAH a Ter Sucesso: Estratégias Paternas Para Neutralizar as Brigas Pelo Poder

Se o seu pré-adolescente com TDAH estiver com problemas na escola, enturmado com gente errada, ou tentando ter mais controle sobre sua vida, os anos entre a infância e a adolescência podem ser turbulentos. Como os pais podem evitar e resolver conflitos. Por Larry Silver, M.D., e Carol Brady, Ph.D.

Ryan, de doze anos de idade, foi diagnosticado com TDAH e Dificuldade de Aprendizagem no terceiro ano. Com ajuda de tutor e um estimulante, ele tem ido bem na escola. Mas as coisas começaram a ficar um pouco difíceis na pré-adolescência.
Ele parou de fazer as tarefas escolares e recusava a ajuda na escola. Em alguns dias, ele não tomava sua medicação para o TDAH – ou ele fingia tomar e, depois, cuspia. Os problemas do TDAH se intensificaram. Ele era expulso da sala e se metia em confusão nos corredores.
Foi nesse ponto que os pais de Ryan – muito frustrados e preocupados com seu filho e com seus problemas de comportamento – procuraram minha ajuda.
A pressão dos colegas está pondo seu filho contra você?
Os problemas que Ryan estava apresentando, eu disse aos pais, não são incomuns para crianças de 10 a 12 anos de idade. Esses pré-adolescentes – nem crianças, nem adolescentes – deixam de se preocupar com o que os adultos pensam deles. Agora estão preocupados com o que seus colegas pensam deles.
Adolescentes ficam tão preocupados em fazer como os outros que evitam fazser qualquer coisa que os faça parecer diferentes dos seus colegas e amigos. Ele vestem-se igual, falam igual, e adotam o mesmo penteado. Tomar remédios para o TDAH? Esqueça. Aceitar as acomodações para o TDAH na escola? Estudar com um tutor? Nem pensar. “Não tem nada errado comigo!” esses jovens dizem a seus pais. “Por que você quer que eu aprenda isso? Nunca vou usar esta coisa”.
Como os adolescentes recusam a ajuda que aceitaram até a pouco tempo, os sintomas do TDAH explodem e suas notas caem. Como é que aquele seu doce estudante de escola elementar virou essa... coisa? O que você pode fazer para endireitar as coisas novamente?
Se o seu pré-adolescente se recusar a tomar a medicação para o TDAH, torne a sua privacidade uma prioridade. Faça-o saber que você entende que pode ser embaraçoso ser visto tomando remédios. Explore as maneiras que podem ser usadas para tomar a medicação com privacidade. Quando ele sair para dormir fora, por exemplo, explique a situação para os pais hóspedes. (Deixe seu filho pular uma dose, se necessário, para manter sua privacidade).
O que fazer se o seu filho estiver em más companhias... É normal que os adolescentes façam novos amigos. Mas e se você achar que a influência deles é parcialmente culpada pelos problemas do TDAH do seu filho? Dizer a ele que você os desaprova pode dar errado; ele provavelmente vai querer ficar mais tempo ainda com eles.
Em vez disso, fique atento para onde o seu filho vai e para o que ele faz. Encoraje-o a cumprir todas as suas atividades extracurriculares. Ele pode decidir que prefere seus velhos amigos.
Se o seu pré-adolescente com TDAH comporta-se mal na escola...
Entenda o que motiva seu filho. Alunos da escola elementar se esforçam para obter boas notas, em parte, para agradar os pais e os professores. Mas, na escola média, o principal objetivo de muitos pré-adolescentes é ser aceito como membro do grupo. Agradar os mais velhos já não é tão importante.
Os professores devem saber que o seu filho pode recusar as acomodações porque elas o fazem sentir-se diferente. Pergunte se ele pode obter ajuda de modo mais discreto. Por exemplo, em vez de ser tirado da classe para ir ao tutor ou ao fonoterapeuta, ele pode se encontrar com o tutor ou o fonoterapeuta em casa.
Não seja o disciplinador. Encontre-se com os professores no início do ano para sugerir alternativas de consequências para os compromissos não cumpridos, etc. Pode ser que o professor peça ao seu filho para usar o tempo de almoço na classe, para então fazer sua tarefa – ou para ficar depois das aulas para fazer a tarefa. Depois disso, não se envolva a não ser que você sinta que a abordagem da escola esteja sendo incorreta. Depois disso, você provavelmente descobrirá que brigas por causa das tarefas escolares somente farão seu filho ficar ressentido com você – e a tarefa ainda não será feita. Se você e seu filho não forem adversários, as linhas de comunicação permanecerão abertas.
Dê menos importância às notas. Não é fácil ver uma criança ir mal na escola – especialmente uma que estava indo bem. Mas criticar seu desempenho acadêmico somente intensificará o estresse que sua família já está sofrendo. E, antes do ensino médio, as notas são menos importantes do que adquirir sólidas habilidades de estudo.
Contrate um tutor de adolescentes. Sua criança pode aceitar melhor a ajuda acadêmica de um estudante mais velho em vez da ajuda de um tutor profissional. Se ela precisar de ajuda, ache um aluno de nível médio inteligente (do mesmo sexo) que esteja querendo ganhar alguns dólares, para vir depois das aulas e ver se as tarefas são feitas e se o seu filho entendeu a matéria.
Controle a medicação para o TDAH na escola de modo discreto – seu filho deverá ter permissão de parar com as visitas na hora do almoço à enfermeira da escola. Use um estimulante que tenha 8 ou 12 horas de ação, para cobrir todo o dia escolar.
Continue a fazer suas próprias avaliações à noite, caso seu filho peça sua ajuda. Mas não o force a aceitar a sua ajuda.
O desejo de ter mais controle está fazendo seu pré-adolescente ficar contra você?
Muitos conflitos são originados no desejo emergente do adolescente de controlar as coisas. Mas os pais estão tão acostumados a vigiar as crianças em suas rotinas que eles se recusam a ceder terreno. Em troca, crianças com TDAH revidam.
Resolva os problemas em conjunto para ajudar seu filho a ter mais controle de sua vida, sem você perder o seu controle. A melhor maneira de evitar confrontos e formar uma equipe. Em vez de ditar ordens, veja se pode resolver os problemas juntos. Dia após dia, o pai de Joe falava para ele parar de jogar no computador. Joe respondia “OK”, mas continuava a jogar. O pai começava a gritar. Joe explicava que não parava em seguida porque estava tentando terminar um nível. Ele concordava em parar, quando os pais falassem, assim que terminasse o nível. O pai dele concordou em não insistir. Obedecendo ao combinado, Joe ganhou um tempo extra no computador.
Regras básicas para negociar regras com seu pré-adolescente
1. Corrija os problemas de comportamento do seu pré-adolescente calmamente. Seja claro sobre as suas expectativas, não crítico.
2. Não fale demais quando for se comunicar. A regra deve ser que você dê mais tempo de fala ao seu pré-adolescente do que a si mesmo.
3. Encontre meios de ajudar seu filho a se sentir poderoso. Peça a ele para ajudar na solução dos problemas. Solicite seu conselho na compra de brinquedos para os irmãos.
4. Ensine-o a discordar sem ser desagradável. Dê o exemplo não aumentando a voz quando você se encontrar em conflito.
5. Tenha uma rotina estruturada. Se o seu filho sabe que se ele acordar e se fizer sua tarefa de casa todos os dias nos horários marcados, haverá menos motivo para brigas. Manejar seu próprio horário o ajudará a sentir-se como um adulto.
6. Seja claro sobre o que não é negociável. Usar o cinto de segurança no carro e outros itens de segurança não são.
Apesar de todos os seus melhores esforços, você pode se achar mergulhado em uma briga pelo poder quando estiver cansado. Se for assim, saia da sala. Depois da raiva, volte com novas ideias e um lembrete que você ama seu filho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário