"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

terça-feira, 24 de maio de 2011

103- Carreiras para adultos TDAH: Qual delas é a sua?

Aprenda a avaliar suas habilidades e seus pontos fortes – assim como suas paixões e interesses – para descobrir a melhor carreira para você.



Por Edward Hallowell, M.D.
O que torna uma carreira uma boa escolha para adultos com TDAH? O que separa as pessoas que se sentem realizadas das que sofrem remorsos? Há 5 passos para ativar o desempenho no trabalho, que eu destaquei no meu último livro, Shine: Using Brain Science to Get the Best from Your People (Harvard Business Reviw Press; 2011). O primeiro e mais importante passo é “escolher” – para ter certeza de que está em um trabalho adequado para você e seu TDAH.


Você está na profissão certa? Você poderá descobrir respondendo as 10 perguntas abaixo. Suas respostas o ajudarão a pensar claramente sobre suas habilidades e preferências, onde você é melhor em organização, e sob quais circunstâncias você se sente mais confortável e motivado.
O que você faz melhor? Você deve passar a maior parte da jornada de trabalho fazendo o que você faz melhor. Muitas pessoas gastam muito tempo tentando fazer o que fazem mal, em vez de fazer melhor o que fazem bem.
O que você mais gosta de fazer? Essa não tem sempre a mesma resposta como a primeira. O ideal é que possa tornar suas atividades favoritas a sua carreira.

No que você gostaria de ser melhor? Sua resposta pode sugerir que você precisa de um mentor, precisa delegar, ou precisa de treinamento. Muitos adultos com TDAH têm dificuldade de se imaginar como políticos – um mentor ou um auxiliar poderiam ajudar. Outros têm dificuldade de se organizar, caso em que um treinador em TDAH poderá trabalhar em conjunto para arrumar estratégias.
Os outros dizem que você é bom no quê? Amigos, colaboradores e revisores podem identificar as habilidades que você tem, mas não valoriza porque elas parecem fáceis para você.

No que você se deu melhor? Isso lhe dará uma ideia de onde a aplicação de esforço adicional compensará.
No que você não se sai bem, mesmo trabalhando duro? É bom saber no que não desperdiçar esforços.
O que você mais detesta fazer? Você pode ser muito bom em algo, embora odeie isso. Conheço um advogado com TDAH que odeia fazer cobranças. Ela deixa para depois e, então, se sente culpado porque está sempre atrasado. Ao admitir que não gosta de cobrar e contratar um assistente para fazer isso, ele melhorou seu fluxo de caixa e diminuiu seu estresse.

Quais habilidades impedem que você seja excelente no seu trabalho? Se você não tem uma habilidade necessária para o seu trabalho e não pode delegá-lo, pense em fazer um curso, em contratar um mentor, em ler um livro ou em trabalhar com um treinador (coach).
Que tipo de cultura faz você dar o melhor de si? É provável que você se entusiasme com seu trabalho se sentir-se ligado à cultura da empresa. Você é uma pessoa certinha, que prospera quando está em uma hierarquia específica, ou faz o seu melhor trabalho quando está em atmosfera do tipo “proibidas as paredes”?
O que você estava fazendo quando estava mais feliz na sua vida de trabalho? Você pode fazer algo parecido novamente? Talvez você tenha gostado da excitação e dos prazos finas do trabalho em vendas, mas ficou infeliz com o cargo de gerente ao qual foi promovido. É hora de voltar para as vendas? Isso poderia ser a chave para a felicidade na carreira.

Este artigo saiu no número Summer 2011 de ADDitude

Veja a postagtem 405, também sobre esse assunto

102- TDAH e SEXO – Melissa Orlov (tradução do vídeo do Youtube)

Olá! Sou Melissa Orlov, colunista de relacionamento da revista ADDitude e autora do livro “Efeito do TDAH no Casamento”. Hoje, vou falar sobre: Socorro! Meu parceiro com TDAH não tem interesse em sexo!
Há várias razões para que isso esteja acontecendo, e eu vou esclarecer algumas delas.

Pouco Desejo Sexual
As pesquisas sugerem que as pessoas com TDAH podem ter com mais frequência pouco desejo sexual do que as pessoas sem TDAH.

Antidepressivos
A depressão geralmente caminha junto com o TDAH. Se o seu parceiro estiver tomando antidepressivos, isto pode ser responsável pelo baixo impulso sexual.

Distração #1
A distração é um dos sintomas principais do TDAH do adulto e pode seguir você até o quarto. Algumas pessoas com TDAH relatam que são tão distraídas que literalmente não conseguem terminar a relação sexual com seu parceiro. O cachorro late e isto é o fim para elas. Se o seu parceiro é muito distraído durante a relação sexual, uma das coisas que pode ajudar é tocar alguma música, isso acalma, às vezes, a mente TDAH. Outra pode ser encontrar locais para fazer sexo com poucos elementos de distração.

Distração #2
A distração pode atingi-lo de outro modo. Você pode se achar entre agendas sobrecarregadas e sintomas de distração e vocês nunca estarão no mesmo quarto ao mesmo tempo, ou um vai para a cama cedo e o outro tarde. Se esse é o seu problema, então agende o sexo juntos. Não parece ser sexy agendar o sexo, mas é melhor fazê-lo do que não o fazer.

A dinâmica pai-filho
Um dos problemas mais comuns do impacto do TDAH no relacionamento é a dinâmica pai-filho, onde o parceiro não TDAH faz o papel do “pai sempre responsável” e o parceiro TDAH faz o papel de “criança menos responsável”. Se você estiver com problemas com a dinâmica pai-filho, a primeira coisa a fazer é parar toda a cobrança e o comportamento agressivo. Você não pode controlar o seu parceiro com TDAH. Ao mesmo tempo seu parceiro TDAH precisa realmente comunicar os sintomas que estão promovendo algumas das dinâmicas pai-filho.

Menopausa
A menopausa também pode ser um problema real para o desejo sexual. Cerca de 80% das mulheres, com TDAH ou não, sentirão algum tipo de disfunção sexual após a menopausa. Além disso, mulheres com TDAH provavelmente sentirão aumento dos sintomas por causa do nível mais baixo de estrogênio, que impacta a produção de dopamina, de modo que as mulheres no pós-menopausa deveriam provavelmente ir ao seu médico para verificar tanto o tratamento para o TDAH quanto os problemas da sua vida sexual.

Tédio
Finalmente, mas não em último lugar, a hiperatividade pode ter algum papel quando um parceiro com TDAH simplesmente fica entediado. Se este é o seu problema, apimente as coisas! Arrume alguns brinquedos, entre em alguns sites da web, procure alguns livros, descubra novas posições, encontre novos locais e o que mais seja que você precise para tornar as coisas novas e interessantes.

Veja o vídeo em   http://www.youtube.com/watch?v=Jdk9pONHEEM