"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

179- TDAH - Soluções para a distração


“Oh, isto parece interessante!”

Nós nos tornamos uma sociedade que persegue a gratificação instantânea. Não podemos esperar. Queremos saber. Necessitamos saber. Agora!
Infelizmente, a maioria da informação nova não é urgente e, talvez, nem mesmo importante. Entretanto, não treinamos nossos cérebros para lidar com o segundo passo: perguntar “Isto é urgente?”
Para superar a distração, você precisa desenvolver um padrão cerebral de dois passos:
1- Avalie a informação que chega.
2- Volte ao presente, se a informação não for urgente, ou mude seu foco para a nova informação se você julgar que ela tem alta prioridade.
Uma boa maneira de fazer isso é dar nota para a urgência e a importância de cada nova mensagem ou informação. Dê notas de zero a dez. Tudo que estiver acima de sete requer atenção imediata. Tudo que estiver em quatro, ou mais baixo, provavelmente poderá ser ignorado pelo tempo necessário.
Lembre-se de que a tecnologia pode nos ajudar: A maioria dos telefones celulares agora nos pergunta se queremos ouvir um e-mail de voz ou ler novo texto, agora ou mais tarde. Com e-mail você tem a opção de clicar, ou não, no pop-up que anuncia uma nova mensagem.


Por Paul Hammerness, M.D. e Margarete Moore

178- TDAH - Soluções para o esquecimento


Por Paul Hammerness, M.D. e Margarete Moore

"Onde deixei minhas chaves?"
Esquecimento

Quando perdemos nossa atenção plena - significando nosso atendimento e atenção à tarefa em curso – parece que estamos perdendo a nossa mente. Quando estamos no chuveiro, estamos pensando em um desentendimento com um colega de trabalho. Quando guardamos as chaves, ou estacionamos nosso carro no estacionamento, já estamos pensando na próxima tarefa e não nos lembramos de onde os deixamos.

Há muitos modos de recuperar a atenção plena que todos nós tivemos na infância. Aqui está um modo a ser utilizado para nos levar de volta às nossas chaves perdidas:

Cultive a atenção. Comece por notar quando você está atento e quando você perdeu sua atenção plena – anote num notebook ou crie uma página de avisos no seu telefone celular.

Estabeleça uma meta. Pense sobre o percentual de tempo em que você está alerta, ou vigilante ou completamente consciente e presente no momento. Talvez você esteja em 50 por cento. Aonde você quer chegar e em quanto tempo?

Veja o momento presente como uma dádiva. Aprecie-o. Ou pare para respirar fundo e prestar atenção à sua respiração para acalmar sua mente.

Pratique o tornar-se consciente. Por exemplo, "Esta semana eu estarei consciente sobre onde pus meu celular. Vou reservar alguns segundos para pensar onde guardá-lo, em minha pasta ou bolso, e para lembrar quando o estiver guardando. Na próxima semana, vou cuidar das minhas chaves. Na outra semana, dos meus óculos. Então vou poder saborear minha primeira  xícara de café de manhã ou um pequeno pedaço de chocolate escuro no final da tarde."