"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

domingo, 22 de abril de 2012

200- TDAH - Quebrando o código das provas


Testes padronizados podem intimidar e perturbar qualquer estudante. Quatro dicas para ajudar estudantes do colegial com TDAH e dificuldades de aprendizagem a se saírem melhor. Por Eric Bjerstedt
Qualquer que seja o teste, SAT, PSAT, ou ACT (testes do ensino americano), realiza-lo é uma situação de grande pressão para qualquer aluno. Mas, para quem tem TDAH ou uma dificuldade de aprendizagem, esses testes são especialmente desafiadores.
Os testes padronizados são realizados por longo período de tempo (quatro horas e meia), com poucos e curtos intervalos – não exatamente a receita de sucesso para o estudante que tem TDAH. Mesmo assim, ainda há meios de se preparar.
Treine em situação semelhante
O lugar em que o teste é feito provavelmente será cheio de distrações: tosse e espirros dos outros alunos, barulho de papéis, os passos intermináveis do fiscal – sem mencionar a vista da janela.
Tampões de ouvido podem ajudar (mas somente os coloque após o fiscal ter falado as instruções para preencher os testes). Entretanto, a melhor maneira é se preparar para fazer o teste em um ambiente semelhante, tal como um café cheio de gente, ou a sala principal da sua biblioteca. Isto lhe permitirá se acostumar a trabalhar em ambiente cheio de distrações antes da data da prova verdadeira.
Leia somente o que precisa ler
A leitura das passagens de compreensão tende a ser longa e cheia de informação desnecessária. Evite perder o foco lendo somente a primeira e a ultima sentença de cada parágrafo. Isto lhe dará a ideia geral e o preparará para responder questões sobre os temas principais.
Para questões sobre palavras ou linhas específicas, encontre-as na passagem e leia o texto ao redor delas. Raramente haverá uma questão que requeira conhecimento de mais do que poucas linhas de texto em cada vez, e esta abordagem lhe permitirá focalizar somente a informação relevante.
Planeje seu trabalho escrito antes de escrever

As pessoas que darão notas ao seu teste levarão apenas alguns minutos para avaliar a sua tese, os argumentos que dão suporte e a conclusão, então, é crucial que seu trabalho siga uma estrutura tradicional. Estudantes com TDAH podem achar difícil organizar seu pensamento, mas se você tiver sua tese e ao menos dois pontos de apoio antes de começar a escrever, você mais dificilmente será desviado da argumentação que está tentando fazer.
Além de ser formatado convenientemente, certifique-se de que seu trabalho utilize a gramática e o vocabulário corretos. Não perca tempo querendo impressionar com palavras que você não tem certeza de como se escrevem. Permanecendo com a linguagem familiar, você eliminará outra distração e obterá mais tempo para cuidar da estrutura do trabalho.
Reserve tempo para checar duas vezes
Cada sessão do teste precisa ser completada em determinado tempo, então, use um relógio em sua mesa para ajudar a ficar atento. Muitos estudantes – especialmente os que têm problemas de impulsividade – não têm o hábito de revisar e corrigir seu trabalho escrito. Porém, somente uma revisão do seu trabalho poderia detectar erros de ortografia e de gramática, os quais poderiam diminuir sua nota.
Para as outras sessões, divida o número de minutos que você tem pelo número de questões; se estiver gastando mais do que o tempo designado, você estará ou pensando muito ou não sabendo a resposta. Se puder eliminar uma ou mais respostas, faça uma escolha e passe para a questão seguinte.

199- Cansado de escutar “Você só tem de tentar com mais afinco”? Respostas de adultos com TDAH- ADHD


Adultos com TDAH (ADHD) relatam o que dizem aos que lhes dizem para “só tentar com mais afinco” – Dos editores de ADDItude
Quantas vezes um amigo, a pessoa amada ou um colega de trabalho o viram se esforçando como pai, com suas amizades, ou no trabalho, e lhe disseram que seria mais fácil se você “se esforçasse mais”? Aqui, adultos com TDAH (ADHD), que já passaram por isso, compartilham suas respostas a essas quatro palavras dolorosas (tentar com mais afinco).
A resposta sarcástica
“Você está certo. Tenho sido sempre um relaxado e masoquista. Assim, sempre que você me vir à toa, você deve limpar minha mesa do jeito que lhe agradar. E quando eu me descobrir atrasado e entrar em pânico, você devem assumir. Você é tão bom para ajeitar as coisas, e eu sei que posso contar consigo para um trabalho fantástico!” – Lemelia, North Carolina
Deixe-os usar suas sandálias
A verdade honesta
“Como você consegue se ligar no seu trabalho com uma mosca zumbindo na sua orelha? O meu mundo é desse jeito. Não é questão de tentar com mais afinco, é sobre tentar manter as coisas mais importantes na parte da frente do meu cérebro enquanto espanto as moscas”, - Kaeli, Kansas
“Queria que você pudesse viver a minha vida só por um dia”. – Um leitor de ADDitude
“Você pode ser bom em A, B e C, mas eu sou bom em D, E e F”. – Joanne, New Jersey
“Você não tem ideia de como eu tento!” – Nancy, Kansas
A abordagem corajosa
“Pare de me insultar. Pedir que eu me esforce mais é como eu pedir para que você fique mais alto”. – Anne, Ontario
“Você é um ignorante sobre TDAH ou é um molestador. Se você for o primeiro, eu posso lhe ensinar; se você for o segundo, eu vou ignorá-lo”. – Um leitor de ADDitude
“Com todo o respeito, cale a boca. Preciso de estratégias, não de palpites, para ajudar a me sair bem”. – Ann, California

198- TDAH – ADHD - Respostas mal-humoradas a comentários maldosos


Às vezes irritados, outras vezes sinceros, os leitores relatam suas respostas inteligentes aos comentários indelicados sobre o TDAH. Dos editores de ADDitude.
ADDitude perguntou: Quais são suas melhores respostas a alguém que fala mal do TDAH?
É uma perspectiva interessante. Você está falando de sua própria experiência ou está citando um especialista no campo das neurociências? – Taylor, Connecticut
Você pediria a alguém com muletas para correr? – Erin, Virgínia
Eu cito Dr. Seuss: “Se você julga um peixe pelo modo como ele sobe numa árvore, ele viverá pensando que é um burro”. Todos nós temos de encontrar um lugar na vida. – Becky, Louisiana
Que bom que você pensa assim, mas até que você tenha TDAH, ou ame alguém com ele, trate de obter os fatos corretamente. – Kate, New York
Bem, eu não sou normal. Isso realmente é muito chato, não é? – April, Michigan
Por favor, não julgue o que você não entende. – Gretchen, California
TDAH é uma desculpa? A única desculpa é a sua ignorância, e você não se informar sobre o transtorno. Dyamond, Texas
Que pena que você não tem um filho com TDAH! O meu torna todo o dia muito divertido. Queria que você pudesse experimentar isso! – Um leitor de ADDitude
Eu sempre escuto esses comentários porque tenho marido e filho usando medicação, e minha resposta é: “Eles são mais felizes com os remédios porque podem prestar atenção, e tudo parece mais fácil”. Isso cala a boca dos outros. C.D. – Colorado
Ainda não tenho uma boa resposta, mas preciso de uma! Minha irmã disse algo maldoso recentemente, e me magoou. Queria ter uma boa resposta para gente como ela. – Um leitor de  ADDitude
Quando uma professora disse, “Não seria justo com as outras crianças dar ao seu filho um cartão de mesa com um modelo do problema de matemática, durante uma prova”. Eu disse, ”Também seria injusto pedir a uma criança cega que lesse o quadro negro”. – Jeanne, Pennsylvania
Eu pego emprestado o comentário de Ned Hallowell: “Tenho TDAH, dois dos meus três filhos têm TDAH, e queria que o terceiro tivesse!” – Bill, South Carolina
Lidar com o TDAH de minha filha é tão exaustivo que eu não tenho nenhuma vontade de educar idiotas. – Elena, Arizona
Oh, me esqueci disso. Tenho de escrever e mandar para você. – Um leitor de ADDitude
Minha resposta não pode ser publicada na sua revista para menores. – Tammy, Texas