"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

quinta-feira, 23 de maio de 2013

282- TDAH e o Sistema Nervoso Motivado



A maior parte das pessoas é neurologicamente equipada para determinar o que é importante e para se motivar a fazê-lo, mesmo quando isso não for interessante para elas. Então, há o restante de nós, que temos TDA. Por William Dodson. M.D.

O TDAH é uma condição confusa, contraditória, inconsistente e frustrante. É opressiva para as pessoas que vivem com ela todos os dias. O critério de diagnóstico que foi usado nos últimos 40 anos deixa muitas pessoas se perguntando se elas têm o problema ou não. Os diagnosticadores têm uma lista longa de sintomas para procurar e descartar. O Manual de Estatística e Diagnóstico das Doenças Mentais (DSM) tem 18 critérios, e outras listas de sintomas citam quase 100 características.

Os médicos, eu incluído, têm tentado estabelecer um modo mais simples e claro para entender as deficiências do TDAH. Procuramos a linha branca e brilhante que define a condição, explica a fonte dos problemas e dá a direção para o que fazer sobre isso.

Meu trabalho na última década sugere que esquecemos algo importante sobre a natureza fundamental do TDAH. Voltei-me para os especialistas no problema – as centenas de pessoas e suas famílias com quem trabalhei e que foram diagnosticadas como portadoras – para confirmar minha hipótese. Minha meta era procurar a característica que todos os portadores de TDAH tivessem e que as pessoas neurotípicas [pessoas normais] não tivessem.

E a encontrei. É o sistema nervoso do TDAH, uma criação única e especial que regula a atenção e as emoções de formas diferentes das do sistema nervoso dos que não têm a condição.

A zona do TDAH

Quase todos os meus pacientes e suas famílias querem abandonar o termo Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade porque ele descreve a maneira oposta do que eles sentem a cada momento de suas vidas. É difícil chamar alguma coisa de transtorno quando ela implica muitas coisas positivas. O TDAH não é um sistema nervoso lesionado ou defeituoso. É um sistema nervoso que funciona bem usando seu próprio conjunto de regras. Apesar da associação do TDAH a dificuldades de aprendizagem, muitas pessoas com um sistema nervoso TDAH têm QI significativamente acima da média. Elas também usam esse QI mais alto de modo diferente das pessoas neurotípicas. Quando chegam ao ensino médio, muitas pessoas com o TDAH são capazes de superar problemas que paralisam os outros, e podem chegar a soluções que ninguém previu.

A grande maioria dos adultos com um sistema nervoso TDAH não é abertamente hiperativa. Eles são hiperativos internamente.

Os que são portadores não têm falta de atenção. Eles prestam atenção a tudo. Muitas pessoas com TDAH sem tratamento têm quatro ou cinco coisas em sua mente de uma só vez. A marca registrada do sistema nervoso TDAH não é o déficit de atenção, mas a atenção inconsistente.

Todos com TDAH sabem que podem ficar “normais” ao menos quatro a cinco vezes por dia. Quando eles estão “normais”, não têm nenhuma deficiência, e os déficits de função executiva que pudessem ter antes de ficarem “normais” desaparecem. Os TDAH sabem que eles são brilhantes e espertos, mas eles nunca têm certeza de que suas habilidades aparecerão quando precisarem delas. O fato de que os sintomas e as deficiências vão e vêm ao longo do dia é o traço definidor do TDAH. Ele torna a condição mistificadora e frustrante.

As pessoas com TDAH geralmente entram na “zona normal” quando estão interessadas ou curiosas no que estão fazendo. Eu chamo isso de um sistema nervoso baseado no interesse, ou sistema nervoso motivado. Amigos e familiares críticos  vêm isso como duvidoso ou oportunista. Quando os amigos dizem “Você consegue fazer as coisas de que gosta”, eles estão descrevendo a essência do sistema nervoso TDAH.

Pessoas com TDAH também entram na “zona normal” quando são desafiadas ou envolvidas por meio ambiente competitivo. Às vezes, uma nova atividade atrai sua atenção. A novidade tem vida curta, entretanto, e tudo fica velho num instante.

Muitas pessoas com um sistema nervoso TDAH podem se envolver em atividades e contar com suas habilidades quando a tarefa é urgente – o último dia de um compromisso, por exemplo. Por isso que a procrastinação é um problema quase universal nas pessoas com TDAH. Elas querem terminar a tarefa, mas não conseguem começar a não ser que a tarefa se torne interessante, desafiadora ou urgente.

Como o Resto do Mundo Funciona

As 90 por cento de pessoas sem TDAH no mundo são ditas “neurotípicas”. Não é que elas sejam “normais” ou melhores. Sua neurologia é aceita e aprovada pelo mundo. Para as pessoas com um sistema nervoso neurotípicos, estar interessada na tarefa, ou desafiada, ou achando a tarefa uma novidade ou urgente, ajuda, mas não é um pré-requisito para fazê-la.

As pessoas neurotípicas usam três diferentes fatores para decidir o que fazer, como começar e para não interromper até que termine:

1- o conceito de importância (elas pensam que devem dar conta)

2- o conceito de importância secundária – elas são motivadas pelo fato de que seus pais, professores, chefes, ou alguém que respeitam acham que a tarefa é importante para ser aceita e completada.

3- o conceito de recompensas por fazer uma tarefa e as consequências e punições por não fazê-la.

Uma pessoa com sistema nervoso TDAH nunca foi capaz de usar a ideia de importância ou de recompensas para iniciar e terminar uma tarefa. Elas sabem que é importante, elas gostam de recompensas, e elas não gostam de punições. Mas, para elas, as coisas que motivam o resto do mundo são simplesmente chateações.

A incapacidade de usar a importância e a recompensa para se motivar tem um impacto por toda a vida dos portadores de TDAH:

Como podem os diagnosticados com o transtorno escolher entre as múltiplas opções se eles não conseguem usar os conceitos de importância e de recompensa financeira para motivá-los?

Como podem tomar grandes decisões se os conceitos de importância e de recompensa não são úteis na tomada de decisão nem são uma motivação para fazer o que escolhem? Esse entendimento explica por que nenhuma das terapias cognitiva e comportamental usadas para controlar os sintomas do TDAH tem benefícios duradouros. Os pesquisadores veem o TDAH como decorrência de um defeito ou déficit localizado no sistema nervoso. Eu vejo o TDAH como originado de um sistema nervoso que funciona perfeitamente bem por seu próprio conjunto de regras. Infelizmente, ele não funciona com nenhuma das regras ou técnicas ensinadas e encorajadas no mundo neurotípicos. Por isso:

Os TDAH não se encaixam no modelo escolar padrão, que é construído em repetir do que alguém pensa que é importante e relevante.

Os TDAH não se sobressaem no emprego padrão que paga às pessoas para trabalhar no que alguém (principalmente o patrão) pensa que é importante.

Os TDAH são desorganizados porque quase todo sistema organizacional que existe é baseado em duas coisas: priorização e gerenciamento, em que os TDAH não se dão bem.

Os TDAH têm dificuldade de escolher entre alternativas, porque tudo tem a mesma falta de importância. Para eles, todas as alternativas parecem a mesma coisa.

Pessoas com sistema nervoso TDAH sabem que, se elas se envolvem em uma tarefa, elas podem fazê-la. Longe de serem gente lesionada, as pessoas com sistema nervoso TDAH são brilhantes e espertas. O principal problema é que receberam um manual do proprietário neurotípicos no nascimento. Ele funciona para todo mundo, não para elas.

Na próxima postagem, a segunda parte deste artigo do Dr. William Dodson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário