"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

307- Maior intensidade de luz solar se correlaciona com menor incidência de TDAH.


A simples inspeção visual de mapas nos quais se mostram as taxas de incidência do TDAH em cada lugar e as intensidades de luz solar em determinada região geográfica revela correlação entre a incidência de TDAH e a intensidade de luz solar em tal zona.

Uma equipe holandesa levou a cabo investigação sistemática na qual foi compilada e analisada a informação contida em diversas bases de dados de 49 estados americanos e nove países. Foi  encontrada clara relação entre a intensidade da luz solar e incidência baixa de TDAH. Nas regiões com alta intensidade de luz solar há incidência baixa de TDAH, o que sugere que a alta intensidade de luz solar poderia exercer efeito "protetor". Ainda levando em conta os fatores que se sabe estarem associados ao TDAH, mantém-se essa correlação com a intensidade de luz solar.

Muitos indivíduos com TDAH também têm dificuldade para dormir e transtornos do sono. De fato, foi demonstrado que as terapias de certos transtornos do sono e os tratamentos cronobiológicos destinados a restabelecer os ritmos circadianos normais, incluindo a terapia de exposição à luz solar, diminuem os sintomas do TDAH.

A fim de delimitar melhor essa aparente relação entre a luz solar e o TDAH, os autores também compararam as intensidades de luz solar com numerosos diagnósticos de autismo e depressão maior, e não encontraram nenhuma relação nesses casos.


Arns M., Van der Heijden K. B., Arnold L. E., Kenemans J. L. [Biol Psychiatry 2013]