"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

314- As Melhores Estratégias de Disciplina para as Crianças com TDAH (2a. parte)

Continuação da postagem 313

11- Estreite as ligações.

A melhor disciplina combina uma firme expectativa de como se comportar ou agir, com o respeito básico pelo valor e a dignidade do seu filho. A hora de se deitar é construtiva, escute as preocupações dele, simpatize com seus sentimentos e defenda seu filho quando necessário. Isso tudo mostrará que você é mais do que um sargento bravo. Você é um pai amoroso.

12- Reafirme seu amor.

Sempre diga ao seu filho, não importa o que ele tenha feito, o quanto você o ama. Amor e liderança são funções gêmeas dos cuidados paternais - então, torne claro que a disciplina não diminui seu afeto por ele.

13- Use a rotina para evitar as brigas pelo poder.

ÀS vezes os pais e os filhos entram em um padrão no qual as tarefas e as responsabilidades diárias viram batalhas. Em muitos casos, a criança até obedece, mas o conflito deixa todo mundo contrariado e emocionalmente esgotado. Estabeleça rotinas para ajudaras crianças a fazer as tarefas diárias junto com o trabalho de escola e a vida familiar. por exemplo, os pais devem estabelecer e cobrar - com calma e firmeza - temor regulares de estudo para cada criança. Pode levar semanas até que a criança aceite essas rotinas e as siga com consistência.

14- Imponha consequências imediatas.

Seja o caso de estar retirando os privilégios de ver TV, proibir seu filho de ir a uma festa, ou qualquer outra coisa, as consequências funcionarão melhor quando forem impostas tão logo as infrações às regras sejam cometidas. A severidade das consequências devem ser equivalentes às infrações. Exagerar nas consequências encorajará seu filho a se ressentir das regras e de sua autoridade - e gerará mais raiva e rebeldia.

15- Enfrente a desonestidade.

Para as crianças com TDAH, mentir é geralmente um mecanismo de compensação. Uma mentira pode ser um modo de encobrir o esquecimento, para evitar a crítica ou a punição, ou para evitar ter de lidar com sentimentos de culpa e de vergonha por repetidos fracassos. O primeiro passo ao lidar com a desonestidade crônica é encontrar as razões que estão por trás dela. Se o seu filho mente para evitar consequências por comportamento irresponsável, você deve monitorar esses comportamentos mais de perto e castigar qualquer ato de trapaça. Se ele mente para encobrir fracasso ou vergonha, encoraje seu filho a ser honesto - e procure ajuda apropriada de modo que ele possa superar o que seja com que estiver tendo dificuldade.

16- Faça seu filho respeitá-lo.

Deve haver muitas razões pelas quais um filho não respeite você ou suas regras. As regras são claras? Regras importantes precisam ser escritas. A criança se recusa a aceitar as regras porque ela as considera injustas? Nesse caso, as objeções da criança e as razões dos pais garantem mais discussões. Por fim, se você quiser que suas regras sejam seguidas, reforce-as consistentemente. Isso significa não se esquecer delas ou suspendê-las ocasionalmente porque você se sente culpado ou porque sua criança (ou seu cônjuge) pressionou-o a fazê-lo. Se você fizer ameaças vazias, você estará sacrificando sua credibilidade e minando sua autoridade como pai.

17- Castigando uma criança super-reativa.

Embora muitas crianças possam protestar bastante por serem castigadas, crianças com TDAH podem reagir com indignação e raivas muito intensas. Tenha em mente que a super-reação crônica ao castigo - particularmente quando intensos sentimentos de raiva ou de frustração estiverem envolvidos - pode não ser resultante do TDAH. A criança está super-reagindo porque se sente criticada? Não amada? Inadequada? Desamparada? Oprimida? Suas expectativas são muito altas e fora da realidade? Em alguns casos a raiva crônica pode indicar depressão da infância ou transtorno bipolar.

18- Seu filho o deixa descontrolado?

Faça uma auto-avaliação. Você tem sido muito crítico ou negativista em relação ao seu filho? Você se preocupa muito com os problemas e nem tanto com as soluções? As conversas têm se transformado em uma série de aulas, em vez de uma troca? Não importa a idade do seu filho, pode ser útil envolvê-lo em um processo de estabelecimento de regras domésticas e de consequências para a desobediência delas. Uma criança que se sente incluída na feitura das regras da família terá mais chance de respeitá-las.

19- Diga não com um jeito calmo e decidido.

Quando uma criança quer um segundo cone de sorvete e fica fazendo manha, não diga "Por que você tem sempre de fazer manha?". Você está dizendo ao seu filho que você é fraco e vulnerável. Para a criança, parece que há uma chance de obter o que ela quer se ela insistir. As crianças ouvem "Não" e "Talvez" ao mesmo tempo. Em vez disso, os pais de crianças com TDAH deveriam dizer não com um jeito neutro e não emocional. Diga, "Não estou nem aí". Nenhuma aula, nenhuma explicação. Isso significa para o seu filho, "Pode acreditar em mim, porque não vou mudar minha decisão. Você pode pedir 7 mil vezes e a resposta ainda será não".

20- Apague a fogueira emocional.


O que acontece se o seu calmo "não" desencadear uma birra? Fazer manha não funcionou, então é hora de embaraçá-lo na lanchonete com uma grande crise de birra. Tome essa oportunidade para lembrar ao seu filho que ele não vai escolher suas reações. Você sim. Mesmo que se sinta embaraçado, frustrado e ressentido, você não vai misturar a gritaria do seu filho com a sua. Gritar só vai aumentar o confronto. Em vez disso, assuma uma postura calma. Sente-se e cruze as pernas. Faça desenhos coloridos com giz de cor e peça ao seu filho para ajudá-lo nessa atividade. Ficar calmo diz que você está no controle da situação - não ele.

continua na 315

ADDitude

Nenhum comentário:

Postar um comentário