"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

sexta-feira, 11 de abril de 2014

329 - Esperto Mas Enrolado: As Emoções do TDAH


Raiva, explosões, ansiedade, irritabilidade, impaciência: Mais do que a maioria das pessoas, os portadores de TDAH podem ser guiados pelas emoções. 

Por Thomas E. Brown, Ph.D., autor de "Smart but Stuck: Emotions in Teens and Adults with ADHD"

As Emoções Governam

Poucos médicos levam em conta os desafios emocionais quando fazem o diagnóstico de TDAH. De fato, os critérios atuais de diagnóstico do TDAH não mencionam "problemas com as emoções", embora as pesquisas recentes revelem que os que têm TDAH sofrem significativamente mais de dificuldades como baixa tolerância à frustração, impaciência, temperamento difícil e excitabilidade em comparação a um grupo controle.

Processar a Emoção: Uma Coisa do Cérebro

Os desafios com as emoções começam no próprio cérebro. Algumas vezes as dificuldades de memória de trabalho do TDAH permitem que uma emoção momentânea se torne muito forte, invadindo o cérebro com uma emoção intensa. Outras vezes, a pessoa com TDAH parece insensível ou alheia às emoções dos outros. As redes cerebrais de conexão que carregam informação relativa à emoção parecem de algum modo mais limitadas nos indivíduos com TDAH.

Preso em um Sentimento

Quando um adolescente com TDAH se torna enfurecido porque um pai não o deixa usar o carro, por exemplo, sua resposta extrema pode ser por "inundação" - uma emoção momentânea pode tomar todo o espaço na mente de um portador de TDAH, como um vírus de computador que pode ocupar todo o espaço de um disco rígido. Esse foco em uma emoção bloqueia informação importante que poderia ajudar a modular sua raiva e seu regular seu comportamento.

Extrema Sensibilidade à Desaprovação

Os TDAHs geralmente se tornam rapidamente imersos em uma emoção saliente e têm problemas com a mudança de foco para outros aspectos da situação. Ouvir uma pequena incerteza na reação de um colega a uma sugestão pode levar à interpretação disso como uma crítica e a uma explosão de autodefesa imprópria, sem ter ouvido cuidadosamente à resposta do colega.

Paralisado pelo Medo

Ansiedade social significativa é uma dificuldade crônica sentida por mais de um terço de adolescentes e adultos com TDAH. Eles vivem quase constantemente com medos exagerados de serem vistos pelos outros como incompetentes, pouco atraentes ou não serem bacanas.

Ceder à Esquiva e Negação

Algumas pessoas com TDAH não sofrem de uma falta de consciência de emoções importantes, mas de uma incapacidade de tolerar essas emoções o suficiente para lidar eficientemente com elas. Elas se tornam presas em padrões de comportamento para evitar emoções dolorosas que parecem muito opressoras - aproximação de prazos finais ou encontro com um grupo de pessoas desconhecidas.

Levados pela Emoção

Para muitos TDAHs, o mecanismo cerebral de comporta para regular a emoção não distingue entre ameaças perigosas e problemas menores. Esses indivíduos são frequentemente atirados ao modo de pânico por pensamentos e percepções que geralmente não levariam a essa reação. Como resultado, o cérebro TDAH não pode lidar mais racionalmente realisticamente com eventos que são estressantes.

Tristeza e Baixa Autoestima

Pessoas com TDAH não tratado podem sofrer de distimia - uma forma leve mas prolongada de depressão ou tristeza. Geralmente são desencadeadas por viver com frustrações, fracassos, feedback negativo e estresses da vida causados por falta de tratamento ou por mau tratamento do TDAH. Pessoas distimicas sofrem quase todo dia de pouca energia e baixa autoestima.

Emoções e Mãos à Obra

As emoções motivam a ação - ação para se engajar ou para evitar. Muitas pessoas com TDAH não tratado podem rapidamente mobilizar interesse somente em atividades que ofereçam gratificação muito imediata. Elas tendem a ter graves dificuldades em ativar e sustentar esforço para tarefas que ofereçam recompensa a longo prazo.

Emoções e Mãos à Obra 2

Estudos de imagens cerebrais demonstram que as substâncias químicas que ativam os circuitos de reconhecimento de recompensa do cérebro tendem a se ligar a menos receptores nas pessoas com TDAH do que no grupo controle. As pessoas com TDAH são menos capazes de antecipar o prazer ou a registrar a satisfação com tarefas para as quais o pagamento é demorado.

Emoções e Memória de Trabalho

A memória de trabalho faz entrar em jogo, consciente ou inconscientemente, a energia emocional necessária para nos ajudar a organizar e a sustentar a atenção, a monitorar e auto-regular. Muitos TDAHs, entretanto, têm memória de trabalho inadequada, o que pode explicar por que eles geralmente são desorganizados, perdem a calma ou procrastinam.

Emoções e Memória de Trabalho 2

Algumas vezes as dificuldades de memória de trabalho do TDAH permitem que uma emoção momentânea se torne muito forte. Outras vezes, as dificuldades de memória de trabalho deixam as pessoas com sensibilidade insuficiente para a importância de uma emoção particular porque elas não mantiveram outra informação relevante na mente.

Tratamento dos Desafios Emocionais


O tratamento dos desafios emocionais do TDAH requer uma abordagem multimodal: ela começa com uma avaliação cuidadosa e acurada do TDAH, que explique o TDAH e seus efeitos sobre as emoções. A medicação para o TDAH pode melhorar o funcionamento das redes neurais do cérebro. A psicoterapia pode ajudar a pessoa a controlar a raiva ou a baixa autoestima. O coaching pode ajudar uma pessoa a superar os problemas para terminar as tarefas aborrecidas.

ADDitude

Nenhum comentário:

Postar um comentário