"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

quinta-feira, 8 de maio de 2014

335- TDAH - Quando "deixar tudo para depois" é OK


Não consegue a atenção para fazer o que tinha planejado? Deixe coisas de lado para melhorar sua produtividade. Por Sandy Maynard.

A procrastinação, como sabemos, significa deixar voluntariamente de lado o que pode ser feito hoje - às vezes contra nosso melhor julgamento. Os pesquisadores psicossociais chamam a procrastinação de "reversão de preferência". Nós escolhemos fazer a coisa que deveríamos fazer.
Não importando como é chamada, a procrastinação é parte da experiência com o TDAH. Isso não significa que devemos nos agredir a cada vez que a praticarmos. Nossa habilidade de prestar atenção e de permanecer focalizados não pode ser ligada como um botão de liga-desliga. Quando ficamos olhando para a tela de um computador por 20 minutos, e não conseguimos escrever nossas palavras, será melhor mudar nosso plano de ação e fazer alguma coisa que não requeira toda nossa atenção. Deixar de lado a tarefa planejada nos permite fazer alguma outra coisa da nossa lista de coisas a fazer, deixando tempo livre para gastar naquilo que queríamos fazer.

Aqui estão algumas estratégias para procrastinar do jeito certo e conseguir fazer mais coisas:

Entenda a causa

Saber o que contribui para o círculo de procrastinação improdutiva pode ajudá-lo a fazer melhores escolhas para usar o tempo eficientemente. Antonio descobriu que, para fazer escolhas sábias para usar seu tempo, ele tinha de se perguntar as causas de sua procrastinação. Estaria ele mudando para uma atividade diferente porque não conseguia ficar prestando atenção, ou seria porque ele temia não conseguir fazer um bom trabalho, ou ele não sabia como dar começo ao projeto? Fizemos uma lista das coisas que poderiam contribuir para a procrastinação e Antonio descobriu que o seu modo impulsivo de decidir fazer era a causa da sua procrastinação. Antonio aprendeu a diminuir seu ritmo e a pensar em sua decisão para mudar as marchas quando escolhesse fazer algo que não fosse uma prioridade.

Arrume a mesa

Aceite o fato de que haverá momentos em que você será incapaz de se concentrar. Isso deixará espaço para aqueles dias quando a procrastinação produtiva para fazer uma coisa sem sentido será a melhor escolha a fazer, em vez de ficar lutando com uma prioridade. Suzana descobriu que tarefas que requeiram sua plena atenção são melhores se forem feitas pela manhã, não à tarde, quando sua medicação já está perdendo o efeito. Ela descobriu também que "ligando as pontas soltas" e fazendo tarefas sem sentido à tarde ajuda a "arrumar  o palco" e a se manter focada na manhã seguinte.
Jake descobriu que arrumar sua mesa na noite anterior, antes de começar um trabalho escrito, previne sua distração com a desordem. Depois que ele arruma tudo, as coisas são feitas.

Deixe para depois de modo produtivo

Quando não conseguimos nos focalizar em uma tarefa, ficamos confusos sobre como fazer bom uso do tempo. Heather, mãe trabalhadora cheia de energia, resolve esse dilema perguntando-se "Qual a escolha mais saudável que eu posso fazer?" Ela sabe que a falta de exercícios leva à letargia e ineficiência, então, ela sai para uma caminhada. Gary consegue arrumar algum tempo extra para meditação em sua mesa de trabalho, sabendo que os benefícios positivos de estar relaxado o ajudam a interagir com sua equipe de trabalho de modo mais eficiente. Tonya acha melhor enfrentar as obrigações quando ela verifica sua caixa de correspondência de e-mail em primeiro lugar.

Seja lento ao mudar as marchas

Faça seu melhor esforço para se manter focalizado por ao menos 20 minutos antes de optar por mudança de marchas. Às vezes demora muito tempo para nossa mente tagarela se acalmar. Se você ainda estiver muito dispersivo depois disso, faça alguma outra coisa para usar seu tempo de modo produtivo.


ADDitude, primavera de 2013