"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

terça-feira, 28 de abril de 2015

TDAH do Adulto - Como Terminar o Que Você Começou (402)

Beth Main, "coach" em TDAH, explica por que é tão difícil permanecer na tarefa, e como administrar o tempo com um plano diário que não seja nem assustador nem estressante.

Por que é difícil permanecer na tarefa

Para os adultos com TDAH, manter uma lista mental de afazeres simplesmente não funciona. Ela exige uma parte do cérebro que você poderia estar usando para fazer outras coisas. Você se esquece das coisas e, então, se lembra enquanto está no meio de alguma outra. Você corre para fazê-la e nunca mais volta à coisa inicial. Sua tendência natural para a impulsividade domina tudo, e isso pode ser muito estressante. A resposta é o planejamento detalhado.

1. Nem tente enquanto estiver sob pressão

Geralmente, os adultos com TDAH somente tentam novas estratégias de organização e gerenciamento do tempo quando se sentem sob imensa pressão - no trabalho, em casa, em situações sociais - que os faz sentir a necessidade de mudar alguma coisa, imediatamente. Mas, organizar-se sob pressão é algo que não pode ser feito. Você precisa se desligar de sentimentos tais como "se eu arrumar isso..." e ter algum tempo livre para conseguir o pensamento organizacional.

2. Mantenha uma lista de papel do que fazer

Manter-se na tarefa começa com o conhecimento do que você vai fazer, e então estar consciente de como vai gastar seu tempo. Você não pode fazer escolhas sobre como gastar seu tempo até que saiba com muita certeza o que precisa ser feito. Um bom gerenciamento de tarefas começa com uma lista do que fazer. Escreva absolutamente tudo nela.

3. Mantenha uma lista mestra

Faça uma lista atualizada de tudo o que você vai precisar. Você poderá querer ter uma lista separada para as tarefas de casa e do trabalho. Então, todos os dias você deverá fazer um plano. Pense em sua lista mestra como uma mesa de bufê. Você não vai comer tudo hoje, mas a cada dia você estará enchendo seu prato, fazendo a lista diária do que fazer. Se você tem um filho com TDAH, você poderá encorajar as crianças a seguir uma lista diária de conferência, e por um item na sua própria lista para conferir com eles.

4. Priorize suas tarefas

Escolha as tarefas mais urgentes e mais importantes para o primeiro lugar, então, a segunda mais importante e urgente. Você vai ter de aprender a diferença entre importante e urgente. Importante é algo que o faz ficar mai perto de suas metas de longo prazo. Tarefas urgente são relacionadas ao tempo. Às vezes você precisa escolher projetos que são importantes mas não urgentes, como trabalhar em um novo design de web site, de modo que faça progresso em direção aos seus sonhos.

5. Conheça seus limites

Você não pode fazer tudo, e, definitivamente, não pode fazer tudo em um só dia. Saber quando dizer não, e delegar tarefas para os outros são estratégias importantes de gerenciamento do tempo no TDAH. Algumas coisas nem precisam mesmo ser feitas. Fique em paz com o fato de que você não vai fazê-las, e retire-as de sua lista. Em compensação, pegue uma coisa que você pode realizar sem estresse, como terminar de lavar toda a louça diariamente, e faça isso todos os dias.

6. Previna a procrastinação

A barreira número um para o sucesso no TDAH é a procrastinação. Há duas razões pelas quais você deixa as coisas de lado: desorganização - você não sabe de fato o que precisa fazer - e desinteresse - você não sente prazer em fazer aquilo. Combata as duas razões dividindo as tarefas em partes menores, de modo que você saiba por onde começar, e encontre maneiras de tornar as tarefas interessantes no momento. Lembre a si mesmo por que a tarefa é importante com o uso de recompensas e consequências. Ou alterne "devo fazer" com "quero fazer" em sua lista, para que tenha motivação para enfrentaras tarefas mais trabalhosas.

7. Pratique a atenção

Você tem TDAH, então você vai se distrair. Geralmente, não notamos nem mesmo que o email e o Facebook estão ocupando uma enorme quantidade do nosso tempo e energia. Estar atento é ter consciência do que está fazendo no presente momento  e tentar corrigir se você sair do curso. Anote o tempo que você acha que vai demorar cada tarefa e ajuste um alarme quando começar. Se você não estiver seguindo bem, descubra se uma distração está lhe afastando da meta e corte-a.

8. Pare de abandonar as tarefas

Conte-nos a verdade: Você deixa as tarefas por terminar? Quando você se descobrir fazendo isso, use uma solução do tipo "drag and drop" do Google Calendar, para ajudá-lo a reorganizar suas prioridades e tocar adiante tarefas não terminadas. Assim, estabeleça um limite para o número de tarefas não terminadas que você deixa em aberto. Faça um esforço consciente para começar e terminar as tarefas. Quando tiver muitas, tente trabalhar nelas por ataques de 15 minutos, fazendo um rodízio entre algumas delas, até que alguma esteja terminada.

9. Invista em bom trabalho de preparação

Você pode acelerar as tarefas que parecem não ter fim por meio de um planejamento inicial. Trabalhe em sua organização - tenha as ferramentas e informações de que necessita para começar antes de iniciá-las. Se for fazer compras na quitanda, assegure-se de que tenha as receitas já planejadas e faça uma lista dos ingredientes. Então, estabeleça um tempo para fazer isso e bloqueie as distrações durante esse tempo.

10. Programe-se de trás para frente

Para deixar de estar sempre atrasado, você precisa pensar de trás para frente. Não faça planos com base no horário em que você precisa estar lá; planeje com base no tempo que você vai demorar para sair de casa. Comece com o seu horário de chegada. Então, subtraia o tempo que levará do carro até o local, seu tempo de viagem, e o tempo para pegar o carro com tudo o que precisa. Assegure-se de que tenha reunido todos os itens necessários bem antes, para que não tenha de voltar para pegar coisas. Tenha em mente de que não haverá tempo para buscar mais uma coisinha antes de partir. Essa coisinha vai fazer você chegar atrasado. E acrescente o tempo que você acha que vai perder em cada farol vermelho. Se você sabe que demora para se aprontar para sair, acrescente mais tempo em sua estimativa.

11. Alimente o seu cérebro

Você não consegue fazer as coisas se não puder se concentrar, e você não pode se concentrar se estiver cansado, cm fome ou se ficou parado o dia todo. Para melhorar o gerenciamento do seu TDAH, alimente seu cérebro melhorando o sono, a dieta e os exercícios. Seja vigilante com o seu tempo, evite distrações e cuide-se de si mesmo. Então, você estará no caminho do sucesso no gerenciamento das tarefas.

ADDitude

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Hiperatividade ajuda crianças com TDAH a aprender (401)

Hiperatividade ajuda crianças com TDAH a aprender

Quando crianças com TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade) tentam aprender, em geral os adultos pedem que elas fiquem sentadas quietas. No entanto, um estudo publicado na revista “Journal of Abnormal Child Psychology” sugere agora que a hiperatividade física é fundamental para os processos de aprendizado cognitivo.
Pesquisadores da University of Central Florida (Orlando, EUA) conduziram estudos em 52 meninos de oito a doze anos de idade. Vinte e nove crianças tinham TDAH e os outros mostraram desenvolvimento normal. Os sujeitos de pesquisa deviam realizar testes padronizados para avaliar a memória operacional. Foram filmados com câmera em alta velocidade que registrava cada movimento e avaliava a atenção deles para a tarefa.
A equipe sob a liderança de Mark Rapport descobriu que movimentos excessivos não estão sempre presentes nas crianças com TDAH, e somente são evidentes quando elas precisam usar as funções executivas do cérebro, principalmente a memória operacional. “O que descobrimos é que quando eles se movimentam ao máximo, a maior parte deles tem um desempenho melhor”, disse Rapport. “Eles têm que se movimentar para manter a atenção.” Em crianças sem TDAH aconteceu o oposto.
Isso não significa que crianças com TDAH devem ter permissão para correr pela sala enquanto aprendem, disse o pesquisador. Mas o movimento deve ser permitido até certo ponto – por exemplo, sentar-se em uma bola de exercícios, ou algo parecido – para conseguir melhores resultados de aprendizado, disse ele.

terça-feira, 14 de abril de 2015

TDAH do Adulto - Uma vida menos comum (e mais satisfatória) (400)


Você é muito mais do que qualquer um dos seus sucessos ou fracassos. Como se tornar mais resiliente - e feliz - vivendo com o TDAH do adulto. Por Jonathan Mooney

Adultos com TDAH precisam se esforçar para serem resilientes. Estou falando de descobrir o guerreiro dentro de cada um de nós.

Se sabemos ou não, o guerreiro se desenvolveu ao longo de anos de lutas pelas nossas identidades na escola - rodeados por famílias que lutaram lado a lado conosco - e por nossos esforços no trabalho e na sociedade. Ao final, é isso que somos.

Mas, geralmente, na batalha por sobreviver na escola, no emprego ou em nossos relacionamentos, nos esquecemos de como construir nosso próprio caminho, e até mesmo como atracar o barco, às vezes - como a pequena criança que não fica sentada na carteira e que exige uma explicação de por qual motivo deveria.

Viver uma vida menos comum é sobre ser um guerreiro e dizer a eles que vão se ferrar com suas medalhas douradas e identidades vazias. Seria irônico (não seria?) se eu tentasse lhe dizer como fazer isso? Não posso. De fato, eu nem ousaria. Mas aqui estão algumas coisas para pensar a respeito de como desenvolver o guerreiro que está vivendo dentro de você.

Defina sucesso

Sua própria definição de sucesso. Defina o que significa para você, não para os outros, ser bem sucedido na vida.

Arrume um fã-clube

Encontre pessoas em sua vida que possam comemorar seu sucesso com você. Às vezes, as melhores pessoas para fazer isso são as que estão contigo desde o início. Quando algo de bom lhe acontece - uma promoção, um aumento de salário, ou só um tapinha do patrão nas suas costas - passe um e-mail para seu fã-clube ou fale com eles ao telefone para compartilhar a novidade e desfrutar sua adulação.

Sobreviva aos reveses

Reveses são um saco. Nenhuma outra análise é necessária. Pior ainda, eles são um fato da vida e podem levar ao medo e a dúvidas sobre suas habilidades. Quando os reveses acontecem - e eles acontecerão se você estiver tocando a vida - relaxe, respire fundo, e saiba que eles são o produto inevitável de trabalhar muito e correr riscos. Se você nunca tiver reveses, você não estará tentando o suficiente.

Assuma a disputa e o risco

Essas são duas coisas que os adultos com TDAH foram ensinados a evitar, mas, de fato, são a chave para se tornarem indivíduos com poder. Muitas pessoas equiparam felicidade à perfeição, e, assim, tentam evitar a luta. E o risco faz surgir o medo do fracasso. Porém, há significado na disputa, e somente assumindo os riscos você crescerá e terá sucesso.

Não tema o fracasso

Crescemos com o medo da nota F (nos sistema escolar americano). Quando ganhamos F, não recebemos as estrelas de ouro, certo? Mas a ironia é que, sem se arriscar a fracassar, nunca conquistaremos algo que seja verdadeiramente nosso. Comprometer-se consigo mesmo a viver uma vida com suas próprias clausulas e a perseguir suas próprias metas e a definição de sucesso é arriscado. Tenha em mente que sua parte resiliente é forte, e sua identidade é independente do seu desempenho ou do seu sucesso. Quando enxergar desse modo, e sem medo, o fracasso simplesmente se transformará em um excitante, mas sem sentido, jogo de pôquer.

Um último conselho: Reconquistar nosso eu das instituições das quais somos parte é uma batalha para toda a vida, mas é também uma lição. As escolas que frequentamos, as carreiras que escolhemos e os relacionamentos em que nos engajamos impõem valores sobre nós. Ser um guerreiro em tudo que você fizer é um meio de mudar sua vida enquanto se mantém leal a si mesmo.

Este artigo foi retirado de Learning Outside de Lines, por Janathan Mooney e David Cole.


ADDitude - verão de 2008