"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Hiperatividade ajuda crianças com TDAH a aprender (401)

Hiperatividade ajuda crianças com TDAH a aprender

Quando crianças com TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade) tentam aprender, em geral os adultos pedem que elas fiquem sentadas quietas. No entanto, um estudo publicado na revista “Journal of Abnormal Child Psychology” sugere agora que a hiperatividade física é fundamental para os processos de aprendizado cognitivo.
Pesquisadores da University of Central Florida (Orlando, EUA) conduziram estudos em 52 meninos de oito a doze anos de idade. Vinte e nove crianças tinham TDAH e os outros mostraram desenvolvimento normal. Os sujeitos de pesquisa deviam realizar testes padronizados para avaliar a memória operacional. Foram filmados com câmera em alta velocidade que registrava cada movimento e avaliava a atenção deles para a tarefa.
A equipe sob a liderança de Mark Rapport descobriu que movimentos excessivos não estão sempre presentes nas crianças com TDAH, e somente são evidentes quando elas precisam usar as funções executivas do cérebro, principalmente a memória operacional. “O que descobrimos é que quando eles se movimentam ao máximo, a maior parte deles tem um desempenho melhor”, disse Rapport. “Eles têm que se movimentar para manter a atenção.” Em crianças sem TDAH aconteceu o oposto.
Isso não significa que crianças com TDAH devem ter permissão para correr pela sala enquanto aprendem, disse o pesquisador. Mas o movimento deve ser permitido até certo ponto – por exemplo, sentar-se em uma bola de exercícios, ou algo parecido – para conseguir melhores resultados de aprendizado, disse ele.