"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

terça-feira, 7 de julho de 2015

O Tratamento Alimentar do TDAH (408)

As pesquisas mostram que uma dieta rica em proteínas, pobre em açúcar, sem aditivos, combinada com suplementos próprios para o TDAH, pode melhorar os sintomas do TDAH. Por Sandy Newman, M.D.

Alimento para Aliviar os Sintomas

Utilizei intervenções nutricionais em centenas de pessoas com TDAH durante os últimos 24 anos. As mudanças de dieta alimentar podem resultar em melhora significativa dos sintomas de hiperatividade, da concentração, da impulsividade e até mesmo do comportamento de oposição.

Utilize Proteínas

Alimentos ricos em proteínas, tais como carne magra, carne de porco, de frango, peixe, ovos, feijão, nozes, soja e laticínios com pouca gordura, podem ter efeitos benéficos sobre os sintomas do TDAH. Alimentos ricos em proteínas são usados pelo cérebro para fabricar os neurotransmissores - substâncias químicas que as células nervosas usam para se comunicar umas com as outras. Comer proteínas no café da manhã ajudará seu filho a fabricar os neurotransmissores que o despertarão. As proteínas também previnem os aumentos da taxa de açúcar no sangue, os quais aumentam a hiperatividade.

Elimine o Açúcar

A única coisa mais importante que eu recomendo é a diminuição da quantidade de açúcar na dieta do TDAH. A ingestão de carboidratos processados simples, tais como pão, waffles, ou arroz branco, é quase a mesma coisa que alimentar seu filho com açúcar. Eles podem torná-lo irritado, estressado ou distraído. Sirva desjejuns e almoços ricos em proteínas, carboidratos complexos e fibras, em vez de açúcar, para aumentar a concentração e melhorar o comportamento.

Use Bastante Ômega-3

Ácidos graxos ômega-3, encontrados no óleo de peixe, podem melhorar a hiperatividade, a impulsividade e a concentração. As pesquisas sugerem que as crianças com TDAH têm taxas sanguíneas mais baixas de ômega-3 do que as crianças sem o transtorno. Uma pesquisa recente mostrou que 25% das crianças com TDAH têm diminuição dos sintomas depois de 3 meses de uso do suplemento. Cinquenta por cento mostraram melhora aos seis meses de uso.

Os Ômega-3: Dose Ótima e Forma

Os dois principais ácidos graxos ômega-3 contidos nos suplementos são o EPA e o DHA. Parece que muitos benefícios são derivados dos suplementos que contêm mais EPA do que DHA. Em geral a dose total diária de 700 a 1.000 mg parece boa para as crianças pequenas; de 1.500  a 2.000 mg para as crianças maiores. O melhor é a ingestão de cápsulas ou de líquido, em vez de chicletes com ômega-3.

Mantenha os Níveis de Ferro

Muitas pessoas não sabem do papel importante que o ferro exerce no controle dos sintomas do TDAH. Uma pesquisa de 2004 verificou que o nível médio de ferro nas crianças com TDAH (medido como ferritina) era de 22, comparado a 44 nas crianças sem TDAH. Outra pesquisa mostrou que o aumento dos níveis de ferro das crianças com TDAH melhorou seus sintomas, quase tanto quanto o uso de estimulantes. Entretanto, como muito ferro é perigoso, peça ao seu pediatra para medir os níveis de ferro antes de dar algum suplemento com ferro.

Dose os Níveis de Zinco e de Magnésio

Estes minerais são essenciais para uma saúde normal e podem exercer um papel importante no controle dos sintomas do TDAH. Muitas crianças com e sem TDAH não obtêm o suficiente deles na alimentação. O zinco regula o neurotransmissor dopamina e pode ajudar o metilfenidato (Ritalina, Concerta) a ter melhor efeito. O magnésio também é usado para fabricar os neurotransmissores e tem um efeito calmante sobre o cérebro. Peça ao seu médico para dosar os níveis de minerais do seu filho.

Fuja de Alimentos Químicos

Várias pesquisas sugerem que aditivos artificiais  tornam hiperativas as crianças sem TDAH e pioram as crianças hiperativas. Gatorade, cheese puffs (salgadinhos a base de milho com sabor de queijo) e doces contêm corantes artificiais e conservantes, que são encontrados também em outros alimentos. Veja a tabela de ingredientes do produto antes de comprar, para evitar os que contenham aditivos. Alimentos frescos, não industrializados, são a sua melhor escolha. Evite cereais coloridos e substitua os refrigerantes por suco cem por cento de fruta.

Cuidado com as Alergias Alimentares

Muitas crianças com TDAH são sensíveis a certos alimentos da dieta, piorando os seus sintomas. Os culpados mais comuns são laticínios, trigo e soja. Se há dois alimentos que você suspeita estarem piorando os sintomas de TDAH do seu filho, elimine um deles por duas a três semanas. Observe os sintomas do seu filho durante esse período, para ver se eles melhoram. Descubra um profissional para guiá-lo, se seu filho precisar de uma dieta restritiva.

Verifique os Problemas com o Glúten

Uma alergia ao glúten - uma proteína encontrada no trigo, centeio e cevada - pode piorar os sintomas do TDAH, além de causar uma série de outros problemas. Muitos dos pacientes com TDAH melhoram com dietas livres de glúten. Se você suspeita de que seu filho tenha alergia ao glúten, fale com seu médico e veja como eliminar o glúten da dieta. Se você for alérgico, seu médico lhe ajudará a mudar para uma dieta sem glúten.

Tente Ervas Úteis

Muitas ervas que foram recomendadas para controlar os sintomas do TDAH foram pouco pesquisadas. As que foram avaliadas e que funcionaram são uma combinação de valeriana e erva-cidreira, que parecem relaxar as crianças com TDAH, pela diminuição da ansiedade. Para melhorar a atenção, um produto chamado Nurture & Clarity pode ajudar. Há alguma evidência de que o picnogenol, retirado da casca do pinheiro americano, melhora a concentração de algumas crianças. Procure por ervas padronizadas e que sejam livres de contaminantes.

[Cuidado ao usar ervas. Lembre-se de que a estricnina, um veneno fortíssimo, também é "natural". É extraída de uma árvore, a Strychnos nux-vomica, ou Fava de Santo Inácio.]


ADDitude