"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

165- A solução alimentar para o TDAH: Como combater os sintomas do TDAH com dieta e suplementos

Estudos mostram que uma dieta com alto teor de proteína, pouco açúcar e sem aditivos, combinada com suplementos bons para o TDAH, como óleo de peixe e zinco, pode melhorar drasticamente, sem nenhum efeito colateral, os sintomas do TDAH em crianças. Aqui, um especialista em TDAH conta como você pode começar.

Por Sandy Newmark, M.D.

A boa nutrição pode fazer uma diferença significativa na vida das crianças que foram diagnosticadas com TDAH.

Tenho utilizado intervenções nutricionais em centenas de crianças com TDAH ao longo dos últimos 24 anos. Em muitos casos, as mudanças na dieta não somente melhoraram os sintomas de hiperatividade, concentração e impulsividade, mas também acalmaram o comportamento oposicionista.

Muitos pais ficam tentados a testar alimentos e suplementos para ajudar seus filhos a controlar os sintomas do TDAH, mas geralmente eles não sabem por onde começar. A seguir, estão várias mudanças de dieta – alimentos a acrescentar à dieta do seu filho e coisas a eliminar – que, eu descobri, promovem o maior alívio dos sintomas.

Pare com os picos sanguíneos de açúcar

Alimentos ricos em proteínas – carne bovina, carne de porco, aves, peixes, ovos, feijão, nozes, soja e laticínios com pouca gordura – podem ter efeitos benéficos nos sintomas do TDAH.

O cérebro usa os alimentos ricos em proteína para fabricar os neurotransmissores, asa substâncias químicas liberadas pelas células cerebrais para se comunicarem umas com as outras. As proteínas podem prevenir os aumentos da taxa de açúcar no sangue, que aumentam a hiperatividade. Dar proteína ao seu filho no desjejum o ajudará a produzir os neurotransmissores que despertam o cérebro.

Combinando as proteínas com alimentos ricos em fibras e pobres em açúcares ajudará seu filho a controlar melhor os sintomas do TDAH durante o dia, não importando se ele estiver tomando medicamentos ou não. A única coisa mais importante que recomendo aos pais é a diminuição da quantidade de açúcar na dieta do seu filho com TDAH.

O que muitas pessoas não sabem é que a ingestão de carboidratos simples processados, como pão ou bolachas, é quase a mesma coisa que alimentar seu filho com açúcar! Seu corpo digere em glicose esses carboidratos processados tão rapidamente que o efeito é virtualmente o mesmo que comer uma colher de açúcar.

Um desjejum consistindo de sucrilhos e um copo de suco, ou uma panqueca com melado, provoca aumento muito rápido do açúcar do sangue. O corpo responde produzindo insulina e outros hormônios que abaixam o açúcar para níveis mais baixos, causando a liberação de hormônios do estresse. O resultado? Na metade da manhã, a criança estará hipoglicêmica, irritada e estressada. Isto pode piorar os sintomas do TDAH ou fazer com que crianças sem TDAH agirem como se tivessem o transtorno. Almoçar um simples carboidrato, com pouca proteína, pode causar os mesmos sintomas à tarde.

Em vez disso, experimente servir desjejuns e almoços ricos em proteínas, carboidratos complexos e fibras – como aveia e um copo de leite, ou manteiga de amendoim em um pedaço de pão integral. Os açúcares desses carboidratos são digeridos mais lentamente, por causa da proteína, das fibras e se comidos juntos resultam em liberação mais suave e sustentada de açúcar no sangue. O resultado? A criança pode se concentrar e se comportar melhor na escola.

Experimente o óleo de peixe

Os ácidos ômega-3 podem melhorar vários aspectos do comportamento do TDAH: hiperatividade, impulsividade e concentração. Como resultado, recomendo que todas as crianças com TDAH tomem os ácidos graxos ômega-3.

Os ácidos ômega-3 são gorduras essenciais importantes para o funcionamento normal do cérebro. São chamados gorduras “essenciais” porque o corpo precisa obtê-los da dieta; nosso corpo não pode fabricá-los. A pesquisa sugere que crianças com TDAH têm níveis sanguíneos mais baixos de ômega-3 do que as crianças sem o TDAH. Assim, a não ser que seu filho seja um dedicado comedor de peixe, você tem de suplementar, geralmente com óleo de peixe, para atingir os níveis salutares.

Vários estudos com ômega-3 e com TDAH sugerem um efeito positivo. Em 2009, um estudo feito na Suécia, 25 por cento das crianças que tiveram uma dose diária de ômega-3 sofreram um significante decréscimo nos sintomas depois de três meses; com seis meses, quase 50 por cento tiveram melhor controle dos sintomas. Isto é um resultado expressivo para um suplemento nutricional não tóxico, com poucos efeitos colaterais.

Quanto de ômega-3 e de que forma seu filho pode obtê-lo? É um pouco complicado. Os dois principais ácidos graxos ômega-3 contidos nos suplementos são o ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido docosaexaenoico (DHA). Parece que os maiores benefícios derivam dos produtos ômega-3 que contêm mais EPA do que DHA. Eu recomendo uma dose de 700 a 1.000 mg por dia para as crianças menores, e 1.500 a 2.000 mg para as maiores.

Os ômega-3 vêm em cápsulas, líquido, ou na forma mastigável. As gomas e os mastigáveis, infelizmente, não têm muito óleo de peixe neles, então é caro e demorado dar a dose correta ao seu filho. A maioria das crianças, que são muito pequenas para engolir as cápsulas, pode tomar o líquido, embora você tenha de ser criativo para fazer com que elas o tomem (gosto de peixe). Você pode misturá-lo com qualquer coisa. Suco de laranja e cremes são uma dupla de favoritos.

Vi algumas crianças melhorarem em poucos dias, enquanto outras não mostraram nenhuma melhora em poucos meses. Meu conselho aos pais é sempre ser paciente e não desistir do regime de ômega-3 muito depressa.

Mantenha os níveis de ferro

Muitos pais e profissionais desconhecem a importância do papel  que o ferro tem no controle dos sintomas do TDAH.

Um estudo feito em 2004 mostrou que a média do nível de ferro nas crianças com TDAH (medido como ferritina) era de 22, comparado com 44 nas crianças sem TDAH. Outro estudo mostrou que aumentando os níveis de ferro das crianças com TDAH melhoravam os sintomas tanto quanto como com o uso de estimulantes. As crianças nesses estudos não eram anêmicas. O fato de que seu filho tenha um hemograma normal nãos significa que o nível de ferritina dele seja normal. Como muito ferro é perigoso, não recomendo dar ferro sem antes checar o nível de ferritina. Peça a seu pediatra para testá-lo.

Se os níveis de ferro estiverem baixos, abaixo de 35, digamos, fale com seu médico sobre iniciar um suplemento com ferro ou aumentar o consumo de alimentos ricos em ferro, os quais incluem carne vermelha, peru e frango, crustáceos e feijão. O nível de ferritina deve ser checado em poucos meses.

Cheque os níveis de zinco e de magnésio

Zinco e magnésio são dois outros minerais que têm papel importante no controle dos sintomas do TDAH. Ambos são essenciais para a saúde e um número surpreendente de crianças, com e sem TDAH, não obtém a quantidade suficiente deles. O zinco regula o neurotransmissor dopamina, e pode tornar o metilfenidato mais eficaz, melhorando a resposta do cérebro à dopamina.

O magnésio é também usado para fazer os neurotransmissores envolvidos com a atenção e concentração, e tem efeito calmante sobre o cérebro. Peça ao seu médico para checar o nível de magnésio e do zinco do seu filho, quando fizer o teste da ferritina. Encontrei ao menos 25 por cento de crianças com níveis baixos de zinco.

Embora tenham sido feitos estudos sob os efeitos de ambos os minerais no TDAH, os resultados não são tão esclarecedores como nos estudos sobre o ômega-3 e o ferro.

Elimine os produtos químicos

Vários estudos sugerem que aditivos artificiais tornam as crianças sem TDAH mais hiperativas, e fazem piorar as que têm TDAH. A União Europeia determina um rótulo no pacote de alimento que contenha aditivos: “Este alimento pode ter um efeito adverso sobre a atividade e a atenção em crianças”.  Gatorade, queijinhos e balas são exemplos típicos de alimentos que contêm corantes artificiais e conservantes, mas aditivos e corantes podem ser encontrados em outros alimentos.

O primeiro passo para evitar os aditivos é ler a tabela de ingredientes do alimento, até que você encontre uma ampla  lista de alimentos livres de aditivos. Em muitos casos, alimentos frescos, não processados, são a melhor escolha, porque contêm poucos aditivos.

Entretanto, atualmente, você pode encontrar pão, cereais, biscoitos, pizza e quase tudo o mais feitos sem aditivos. Evite cereais muito coloridos e muito açucarados. Substitua os refrigerantes por sucos naturais.

Preste atenção na alergia a alimentos

Alguns estudos mostraram que muitas crianças com TDAH são sensíveis a certos alimentos da dieta. Essas sensibilidades fazem piorar significativamente os sintomas do TDAH. Em estudo recente, 50 crianças foram submetidas a uma dieta restrita por 5 semanas, e 78 por cento delas tiveram melhora significativas dos seus sintomas!

Em minha experiência, tenho visto melhoras em muitas crianças quando elas param de comer alimentos aos quais são sensíveis. Os culpados mais frequentes são laticínios, trigo e soja.

É importante saber que as crianças com TDAH não necessariamente têm “alergia alimentar” em senso médico, estrito. Os resultados dos testes para alergia a alimentos são geralmente negativos nessas crianças. A única maneira de saber se a sensibilidade a alimentos afeta o seu filho é remover certos alimentos de sua dieta e observar a reação. Uma criança pode ter sensibilidade a alimentos se ela apresenta sintomas de alergia, tais como febre do feno, asma, eczema, ou problemas gastrointestinais. Mas tenho visto crianças sem nenhum destes problemas responderem bem à mudança da dieta.

Se há um ou dois alimentos que você suspeita que podem estar piorando os sintomas de TDAH do seu filho, elimine um deles por duas ou três semanas. Observe os sintomas do TDAH do seu filho durante este tempo. Se você estiver pensando em começar uma dieta restritiva, encontre um profissional para guiá-lo. Você sabe que mudanças na dieta são difíceis de empreender em crianças com TDAH, mas muitas famílias o fizeram com sucesso e estão felizes com os resultados.

Tente ervas benéficas

Várias ervas foram recomendadas para o controle dos sintomas do TDAH, incluindo o ginkgo, a erva de São João, a rhodiola e o ginseng. A maioria não foi testada, com duas exceções.

Em um grande estudo europeu sobre hiperatividade e problemas de sono, uma combinação de valeriana e erva cidreira ajudou a relaxar as crianças com TDAH, por meio da redução da ansiedade. Eu utilizo estas ervas regularmente para crianças que sofram desses problemas. Consulte um médico naturalista para encontrar a dose correta para o seu filho.

Para melhorar a atenção, um novo produto herbário, chamado Nature & Clarity, foi desenvolvido, e cuidadosamente testado por um time de médicos de Israel. As crianças que tomaram tiveram significativa melhora, conforme medida pelo seu desempenho no Test of Variables Attention, que é uma medida computadorizada da atenção. Não faço recomendações definitivas com base em um estudo, mas este produto merece ser avaliado. Você pode ler sobre ele em adhd-clarity.com

Finalmente, o picnogenol, que é um extrato feito da casca do pinheiro marítimo francês, tem sido ligado a melhora dos sintomas do TDAH em um número limitado de pesquisas. Encontrei relatos de que este produto ajuda a melhorar a concentração em algumas crianças.

Um último pensamento: Produtos herbários variam muito em qualidade, e alguns contêm contaminantes. Você deve encontrar um profissional reconhecido que o ajude a identificar fontes  confiáveis de ervas puras e padronizadas. ADDitude 2011.

(Com o devido respeito ao autor, tenho lá minhas dúvidas quanto à metodologia empregada nesses “estudos” que foram citados, sem as devidas referências. Continuo como São Tomé... – Dr. Menegucci)

6 comentários:

  1. Nossa que util esse blog, parabens pelas informacoes, ha tempo que estou procurando algo tao completo e ajudador para o TDAH, sou portadora de TDAH, tenho os sintomas desde crianca, mas infelismente so a pouco tempo consegui descobrir a causa dos sintomas e diagnosticada, infelismente nao tive tratamento na infancia e agora na fase adulta tenho tido muitos problemas ja que estou na Universidade e venho sofrendo muito com a falta de atencao, impulsividade e irritabilidade, etc... Confesso que nao estou muito animada em tomar o ritalina ja que nao serve como tratamento, mas fiquei muito feliz com esta materia e principalmente com a indicacao de oleo de peixe e tb a erva Nurture e Clarity. Fiz uma busca e encontrei o medicamento no site da Vitaminglobal.com, entao gostaria de saber se o Laboratorio Omni e conhecido e tambem qual seria a dosagem que eu deveria tomar diariamente,ja que tenho 34 anos, feminino.. Grande abraco e obrigado por disponibilizar estas preciosas informacoes!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como escrevi no rodapé deste artigo, só acredito vendo. Não tenho experiência com o uso destas medicações fitoterápicas. Lembro que o artigo fala sobre o tratamento de crianças...
      Obrigado pelo elogio. Dr Menegucci

      Excluir
  2. Parabens por disponibilizar informacoes importantes e que tem grandes chances de melhorar a qualidade de vida de quem tem tdah.
    Cuidando das pessoas teremos um mundo melhor!!!
    Parabens!!!

    ResponderExcluir
  3. Meu filho tem tdah e transtorno de comportamento. toma venvanse e amitripitilina e esta otimo. nao faço essas dietas malucas, so evito dar muito cafe(so dou de vez em quando) e refris.

    ResponderExcluir
  4. gostaria de saber mais sobre crianças com esses intomas e comportamento como ajudar tenho um filho assim

    ResponderExcluir
  5. Agradecido a todos. Quem puder ajudar, é só encaminhar os endereços da web. Dr Menegucci

    ResponderExcluir