Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2013

313- As Melhores Estratégias de Disciplina para as Crianças com TDAH (1a. parte)

Você falou para o seu filho pegar a roupa suja no chão do quarto dele. Nem uma meia foi posta no cesto de roupa suja. Ele não te escutou ou ele te ignorou? Contrariado, você gritou com ele e, pior, sentiu que estava ficando bravo e à beira de uma luta pelo poder. Então vieram os castigos, não ver TV por uma semana, nenhuma visita aos amigos por um mês e qualquer outra coisa que possa pensar quando está enfurecido. O incidente custa muito caro para todos: Seu filho se sente enraivecido e desmoralizado, e você se sente tudo menos um pai amoroso. E para quê? Uma pilha de roupa suja precisando de uma máquina de lavar roupas. Todos os pais querem que seus filhos sejam felizes e bem ajustados. Mas os pais também querem que eles sejam respeitosos e obedientes. Naturalmente, crianças - particularmente as crianças com TDAH - têm suas próprias idéias. Em vez de fazer o que lhe pediram, as crianças com TDAH ignoram suas tarefas de casa, incomodam seus irmão e se esquecem de dar comida para o cacho…

312- O Que Aconteceu? Ex-namorado com TDAH.

Postado por MayaL em Couples with one ADHD partner on Dec. 08, 2013 at 2:29pm

Esta grande questão está me incomodando nos últimos 10 meses: "O que aconteceu?"
Namorei esse rapaz com TDAH, e foi perfeito. Estava apaixonada pela primeira vez na minha vida. Ele tomava Adderal e me disse logo no início que tinha TDAH. Nunca notei nada de diferente nele, exceto as ocasionais crises de irritação ou de raiva, o que era muito diferente do seu jeito amoroso habitual .
Um dia, descobri que ele parou de tomar sua medicação de modo repentino. Aparentemente ele estava tomando três vezes mais do que deveria. Mais tarde, no mesmo dia (em que ele parou), ele me mandou um email dizendo que não sentia nada por mim e que eu deveria seguir em frente na minha vida (era uma carta muito doce, mas, mesmo assim, devastadora). Duas semanas depois disso, tivemos uma discussão online sobre o fato dele ter se recusado a me ver quando ele estava na cidade, dizendo que eu era "maluca" e "muito…

311- Sete Modos de Reduzir o Estresse: Técnicas Calmantes Para Adultos com TDAH

Sete estratégias para se acalmar quando o TDAH desencadeia estresse em casa e no trabalho. Por Nancy Ratey, Ed.M.
"Finalmente, consegui!" Bob, um adulto com transtorno de déficit de atenção, disse para si mesmo, ao sair do trabalho às 17 horas em ponto, para ir se encontrar com sua mulher, para jantar. Pela primeira vez em anos, ele não estava atrasado.
Mais importante ainda, ele estava pronto para aproveitar a noite fora porque se sentia relaxado e com tudo sob controle. Bob não mais ficava até a última hora para completar a lista de relatórios sobre os clientes - um padrão estressante que tinha provocado um grande estrago em sua saúde e em seu casamento.
Como Bob eliminou o estresse no trabalho? Usando um relógio que bipava a cada hora, de modo que ele tivesse certeza de que estava seguindo sua lista de obrigações, um calendário do ano todo com os prazos finais de cada cliente marcados por código de cores, um notebook no qual ele escrevia pensamentos ocasionais durante o dia.…

310- Emoções no TDAH: Como Elas Afetam Sua Vida e Sua Felicidade.

A tempestade emocional do TDAH pode atingir a autoestima, os relacionamentos, e quase tudo mais na vida. O que você deveria saber para controlá-la, a seguir. Por William Dodson, M.D.
A Tempestade Emocional
Você não consegue administrar as dificuldades do TDAH até que entenda como você processa a emoção. Os pesquisadores ignoraram o componente emocional do TDAH porque ele não pode ser medido. Entretanto, as crises emocionais são o aspecto prejudicial mais importante do TDAH em qualquer idade. Descubra como suas emoções atingem sua vida e sua felicidade, e como você pode ser capaz de administrá-las.
Sensibilidade à Crítica
Quase todo mundo com TDAH responde com um empático sim à questão: "Você sempre é mais sensível do que os outros à rejeição, gozação, crítica, ou sua própria percepção de que fracassou desistiu?" Essa é a definição de uma condição chamada de disforia sensível à rejeição (RSD),  que muitos portadores de TDAH apresentam.
Depressão e RSD
Por muitos anos a RSD tem sido …

309- Cheguei ao fim da linha (quase). Depoimento de um TDAH adulto.

Desistindo da faculdade, perdendo o emprego, sentindo-se um fracasso como marido, este autor quis terminar com tudo, até que se lembrou das sábias palavras de sua mulher.
Em 2011, com a idade de 35 anos, desisti de tudo. Havia abandonado a faculdade, não conseguia manter um emprego, e estava cansado de me sentir um fracasso como marido. Minha mulher estava trabalhando no escritório de casa, no andar de cima, e eu fui até o porão e enrolei a corda de ginástica em volta do meu pescoço e me pendurei nela. A dor ficou violenta, enquanto as lágrimas caiam no carpete. Meu irmão havia cometido suicídio três anos atrás, e eu estava indo me juntar a ele em um local menos dolorido. Porém, algo me impediu.
Em meio à vergonha, culpa e desespero que me corroíam, percebi que tinha coisas boas; não sabia como ia ter acesso a elas enquanto me sentisse um fracasso. Minha vida estava por um fio, mas eu me lembrava de minha mulher dizendo que quando as coisas ficam ruins e difíceis de suportar, é bom leva…

308- "Não quero ser o menino mau! Socorro!"

A correção e a crítica constantes fazem nossos filhos se sentirem mal. Auxilie seu filho a se sentir bem novamente com essas ideias para construir a autoestima. Por Kirk Martin.
"Sou burro! Queria não ter nascido." Quando meu filho, Casey, falou isso, com 10 anos de idade, meu coração disparou. Como essa criança podia se sentir tão mal?
Pensei sobre as mensagens que ele recebia em todos os lugares em que fosse: "Você precisa aprender a ficar sentado quieto. Por que você não consegue obedecer às ordens?" Ele sempre estava encrencado, por coisas que não podia controlar. Entre suas crises de desespero, comecei a ouvir uma mensagem diferente: "Não quero ser o menino mau! Não quero ficar encrencado o tempo todo. Preciso de meios para ter sucesso, preciso de ajuda!" Eis aqui quatro meios de dar ao seu filho a ajuda que ele está pedindo:
1- Dê ao seu filho um cartão de avaliação.
Se você é constantemente avaliado e penalizado por causa do seu problema, você se senti…

307- Maior intensidade de luz solar se correlaciona com menor incidência de TDAH.

A simples inspeção visual de mapas nos quais se mostram as taxas de incidência do TDAH em cada lugar e as intensidades de luz solar em determinada região geográfica revela correlação entre a incidência de TDAH e a intensidade de luz solar em tal zona.
Uma equipe holandesa levou a cabo investigação sistemática na qual foi compilada e analisada a informação contida em diversas bases de dados de 49 estados americanos e nove países. Foi  encontrada clara relação entre a intensidade da luz solar e incidência baixa de TDAH. Nas regiões com alta intensidade de luz solar há incidência baixa de TDAH, o que sugere que a alta intensidade de luz solar poderia exercer efeito "protetor". Ainda levando em conta os fatores que se sabe estarem associados ao TDAH, mantém-se essa correlação com a intensidade de luz solar.
Muitos indivíduos com TDAH também têm dificuldade para dormir e transtornos do sono. De fato, foi demonstrado que as terapias de certos transtornos do sono e os tratamentos cro…

306- TDAH e superdotação? Estudantes duas vezes excepcionais.

Uma criança com déficit de atenção e comorbidade com dificuldades de aprendizagem pode também ser um aluno superdotado (ou 2e. nas escolas americanas. Nota do tradutor). Você sabe como descobrir um aluno 2e. e ajudá-lo a realizar todo o seu potencial?

Por Lynne Ticknor
Muitos pais e professores não sabem que uma criança pode ser superdotada e ter dificuldades de aprendizagem, uma combinação chamada "duas vezes excepcional" ou 2e. Debra Hori, uma terapeuta educacional, não sabia. Seu filho Ben, foi diagnosticado com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) aos oito anos de idade, mas demorou três anos para descobrirem que seu QI e suas habilidades verbais eram muito acima da média. "Ele foi testado e pontuou na faixa da superdotação", diz Hori. "Decidi matriculá-lo em outra escola, com as acomodações para todas as necessidades dele", ela explica. "Fez uma enorme diferença".
Crianças intelectualmente superdotadas, com necessidades esp…

305- TDAH também pode estar ligado a circunstâncias econômicas

O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) pode não ter somente causas genéticas - ele pode ser induzido por circunstâncias sociais e econômicas. Isso foi indicado em um estudo britânico publicado no "Journal of Child Psychology and Psychiatry".
Pesquisadores da Universidade de Exeter analisaram os dados do estudo Millennium Cohort, que incluiu 19.500 crianças no Reino Unido. Ele mostrou que mais crianças portadoras de TDAH vinham de famílias abaixo da linha de pobreza do que observado na população geral. A renda média familiar nas famílias com crianças portadoras de TDAH foi menor do que nas famílias sem crianças com TDAH. Pais que viviam em moradias sociais tinham uma probabilidade três vezes mais alta de ter um filho com TDAH em comparação com os pais residentes em casa própria. A escolaridade e a idade das mães também tiveram seu papel: os filhos de mães com diploma universitário e das mães mais velhas sofriam menos frequentemente de TDAH; os filhos de pais…

304- Mães - Parte 3 - Continuação da 303

Mães - Parte 3
"Disse à minha filha: o céu é o limite". Karen Fisher, professora do ensino médio em Bow, Washington, e mãe de Danielle Fisher, a mais jovem pessoa a escalar todas as montanhas mais altas do mundo.
Persistência foi sempre um desafio para Danielle Fisher. "Ela começava a tarefa de casa mas não a terminava, ou terminava mas não entregava", lembra-se sua mãe, Karen Fisher. Mas Karen era compreensiva porque ela, também, geralmente ficava fora de rumo. "Demorava o dia todo para eu limpar a cozinha, porque eu ia de um cômodo para outro, e outro", ela revela. "As coisas não pareciam tão fáceis como para os outros pais."
Quando Danielle chegou ao sexto grau, ocorreu a Karen que ela podia ter TDAH. Depois de um médico confirmar o diagnóstico das duas, mãe e filha começaram a medicação. A capacidade de focalizar das duas melhorou, mas os problemas continuaram. "Na sala de aula, as meninas com TDAH geralmente não são percebidas", diz K…

303- Continuação da 302 - Mães - Parte 2

Mães - Parte 2
"Eu aperfeiçoei os dons que o TDAH deu a ele"
Yvonne Pennington, psicóloga clínica em Marietta, Georgia, mãe de Ty Pennington, estrela da série da ABC-TV Extreme Makeover: Home Edition.
Como o rapaz sortudo, feliz e faz-tudo do seriado de TV Extreme Makeover: Home Edition, Ty Pennington batalhou para atingir nossos corações. Sua mãe, Yvonne Pennington, é, claro, sua maior fã - embora ela afirme de início que a energia maníaca de Ty nem sempre foi uma coisa boa.
"No primeiro grau, ele punha sua carteira nos ombros e a "vestia", correndo pela sala de aula no meio das risadas dos outros alunos", ela nos conta. "As professoras insistiam que ele era brilhante, mas que não conseguia ficar sentado quieto. Eu era constantemente chamada à sala do diretor e me sentia como se fosse a pior mãe do mundo".
Em casa, Ty era um azougue. Yvonne diz que ele estava sempre pulando do telhado e correndo pelas ruas sem se preocupar com os carros.
Naquela époc…