Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

A verdade sobre o Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) (396)

O TOC é difícil de entender e de manejar, mas é possível ser controlado! Veja, a seguir, o que você precisa saber sobre o transtorno obsessivo-compulsivo. Por Roberto Olivardia, Ph.D.
O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é uma doença mental incômoda, que atinge aproximadamente 1 em 100 pessoas, ou 3 milhões de adultos, e 1 em 200 crianças e adolescentes, ou 500 mil jovens, nos Estados Unidos. As pessoas com TOC, e que também foram diagnosticadas com TDAH, têm muito trabalho para lidar com os dois problemas.
O ABC do TOC
O TOC é caracterizado por obsessões e/ou compulsões. Obsessões são pensamentos persistentes, ou imagens que são inoportunas, intrusivas, e causam estresse e ansiedade. Preocupações com os problemas da vida real não são a mesma coisa que obsessões. As pessoas com TOC tentam ignorar as obsessões ou neutralizá-las com algum pensamento ou ação. Mesmo que a lógica diga que as obsessões são irracionais, é difícil ignorá-las.
Obsessões comuns incluem contaminação (medo de cont…

Irmã. Mulher. Mãe. TDA adulto (395)

As mulheres adultas não têm TDA, têm?!? Oh, sim. De fato, as mães são o grupo populacional recentemente diagnosticado com TDAH que cresce mais depressa. Em outras palavras, você não está sozinha - em suas emoções conflitantes, nas suas dores, ou em sua chance de um novo começo. Nós estamos aqui para ajudar. Por Zoe Kessler.

O TDAH Feminino 

Muitas mulheres diagnosticadas com TDAH (ADHD) na idade adulta experimentam um momento "Aha!" quando seu filho é diagnosticado. De repente, você também começa a se reconhecer, e às suas dificuldades, no diagnóstico. Você sempre soube que havia alguma coisa estranha, e agora, depois de aprender sobre o transtorno, você acha que tem TDAH. O que você deve fazer? Leia para descobrir o que pode realmente saber, e achar as fontes de informação para seguir em frente.

1. Torne-se uma especialista

Sua vida parece uma grande batalha? Você está sempre desapontada ou frustrada? O primeiro passo em sua jornada com o TDAH é procurar um diagnóstico correto.…

Quando o déficit de atenção (TDA) é real (394)

Por Suzana Herculano-Houzel
As tirinhas do menino Calvin e seu tigre de pelúcia, Haroldo, desenhadas pelo americano Bill Waterson, me acompanharam pela adolescência. Calvin sempre é retratado como um menino inteligente, criativo, espirituoso, de espírito saudavelmente rebelde, e com uma certa preferência por viajar por outros planetas a ouvir a professora falar. 
Mas algum fã resolveu "tratar" Calvin de uma suposta doença, e na tirinha adulterada, fácil de achar na internet, os diálogos mostram Calvin, medicado, tratando Hobbes laconicamente, sem querer brincar, até que Hobbes volta a ser apenas o tigre que é.  A impressão que fica é de uma tentativa de protesto contra a suposta "medicalização" das crianças e jovens hoje em dia. O pior é que há até quem acredite no diagnóstico: Calvin sofreria de distúrbio de déficit de atenção. 
Eu protesto duplamente, como neurocientista e como leitora. A tirinha modificada pressupõe que Calvin só poderia ser criativo e brincalhão se…

Então, você acha que tem TDAH? Como escolher um profissional. (393)

Escolher o médico certo para fazer o diagnóstico e tratar seu TDAH adulto não é nada fácil. Aqui estão dicas para encontrar o profissional certo para você. Por Michele Novotni, Ph.D.
Pode ser que algum dos seus amigos tenha sido avaliado para TDAH recentemente, ou que tenha tido um momento "a-há!", depois de dar uma olhada na sua mesa de trabalho. Você voltou à sua juventude e percebeu que sempre foi desorganizado e impulsivo. Ou, talvez, você levou seu filho a um profissional, para um diagnóstico, e conforme o médico enumerava os sintomas, você queria dizer "Eu também!". Aí, você pensou em ligar para um profissional para falar com ele sobre isso.
Antes que você procure alguém para ajudá-lo, tenha em mente esses fatos:
> Um psicólogo, um psiquiatra, ou um neurologista são os profissionais mais bem preparados para fazer o diagnóstico de TDAH do adulto. Um terapeuta de nível superior é recomendado somente para a triagem inicial.
> Somente um psiquiatra, neurologist…

Como a música faz desabrochar o cérebro TDAH (392)

Aprender um instrumento ajudou meu filho a aumentar sua atenção e a impulsionar seu desempenho. Veja aqui como você pode usar a música para dar também ao seu filho, com TDAH ou Dificuldade de Aprendizagem, uma vantagem. Por Sharlene Habermeyer.
As crianças não vêm em pacotes organizados - elas vêm com espontaneidade, energia e deliciosa individualidade. Algumas têm desafios de aprendizagem que as afeta fisicamente, cognitivamente, emocionalmente e no comportamento. A notícia boa é que a música pode ajudar a maioria delas.
Em 1982, meu terceiro filho, Brandon, sofreu um traumatismo de parto que o deixou com danos no córtex pré-frontal. Ele era um bebê inquieto, chorava o tempo todo, e tinha infecções de ouvido constantemente, atraso da fala e da linguagem, e grave ansiedade de separação. Aos seis anos, foi diagnosticado com TDAH, e problemas no processamento auditivo, na discriminação auditiva, problemas visuais e na percepção visual, além de problemas motores e sensoriais. A diferença e…

10 grandes ideias erradas sobre o transtorno bipolar (bipolar disorder) (391)

Separe os fatos da ficção conferindo estes dez mitos comuns sobre o transtorno bipolar. Pelos editores de ADDitude.
A verdade sobre o Transtorno Bipolar
Existe uma grande quantidade de desinformação a respeito do transtorno bipolar; muitas delas são perigosas para os que vivem com a doença. Leia a seguir, para saber a verdade e educar-se sobre a doença.
1- "Se você é bipolar, toda alteração de humor é causada pela doença"
É fácil descrever um mau humor como só uma química cerebral bipolar. É uma armadilha em que se cai facilmente - e que pode até mesmo ajudar os pacientes e a família deles a lidar com a doença de tempos em tempos. Mas, na maior parte do tempo, as pessoas com o transtorno bipolar reagem aos eventos diários de modo igual ao de qualquer pessoa - nem tudo é mania ou depressão. Você tem direito aos seus sentimentos. Não acredite que cada repente ou momento de tristeza seja de apenas outro "episódio".
2- "Mania é um sentimento feliz"
Embora a mania p…