"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

TDAH - Facilmente distraído? Como controlar as distrações e o foco na escola.  -  448


Crianças com TDAH possuem um nível mais baixo de alerta cerebral, o que significa serem mais facilmente distraídas por estímulos internos e externos. Utilize estas estratégias, na escola e em casa, para melhorar o foco e a compreensão.
Por ADHD EDITORIAL BOARD. Revisado pelo ADDitude´s Medical Review Panel. Updated = 23 de Agosto de 2019.

O problema: “Meu filho é facilmente distraído; ele não presta atenção nem escuta.”

Não focalizado na aprendizagem? Facilmente distraído na escola e na tarefa de casa? Um estudante com Transtorno de Deficit de Atenção (TDAH ou TDA) pode não parecer escutar ou prestar atenção na matéria de classe. Ele pode estar divagando, olhando pela janela, ou focalizado em ruídos irrelevantes ou outros estímulos. Como resultado, ele perde as lições, instruções e orientações.

A causa: TDAH não é somente uma incapacidade de prestar atenção – é uma incapacidade de controlar a atenção. Crianças com TDAH têm um nível mais baixo de despertar cerebral, o que por sua vez diminui sua habilidade de descartar distrações como ruídos no corredor, movimentos lá fora, ou mesmo seus pensamentos e sentimentos internos. Crianças com TDAH têm uma dificuldade especial em controlar a distração quando uma atividade não é suficientemente estimulante. Elas perdem o foco.

Os obstáculos: Crianças com TDAH lutam para se manter focalizadas em leituras ou qualquer tarefa que requeira esforço mental sustentado. Às vezes, essa distração pode parecer intencional e irritante – o que funciona contra os estudantes com TDAH para obter a ajuda de que precisam. Advertências tais como “Volte para a Terra, Maria!” ou “Por que você nunca escuta?” não corrigem esse deficit de atenção. Se as crianças pudessem prestar mais atenção, elas o fariam.

Continue lendo para descobrir as soluções para a distração em sala de aula e em casa e para auxiliar seu filho a prestar atenção em seu trabalho escolar.

SOLUÇÕES PARA PRESTAR ATENÇÃO EM SALA DE AULA

Escolha com sabedoria o lugar de se sentar. Manter crianças com TDAH perto do professor e longe de portas ou janelas ajuda a minimizar as potenciais distrações e promovem melhor resultado em “estar focalizado”.

Permita que os estudantes utilizem bloqueadores de distração. Para não prejudicar crianças com TDAH, deixe que elas tentem separadores individuais, fones de ouvido, ou tampões auriculares para bloquear as distrações durante os trabalhos sentados ou nas provas.

Torne as coisas interessantes. Alterne entre atividades com alto e baixo interesse e, quando possível, mantenha os períodos de ensinamento curtos ou varie o ritmo de uma lição para a próxima.

Adapte-se aos diferentes estilos de aprendizagem: Utilize uma variedade de estratégias e de técnicas de ensino para adaptar-se aos vários estilos na sala de aula, de modo que todos os alunos tenham a oportunidade de abordar as lições da melhor maneira que eles aprendem.

Inclua aspectos visuais auditivos e cinéticos a todas as lições. Também, dê aos estudantes a oportunidade de trabalhar em cooperação, individualmente e com o grupo.
Redirecione em vez de reprimir. Em vez de repreender um aluno que se distrai, redirecione-o de um modo que não lhe cause embaraçamento. Às vezes, fazer uma pergunta a uma criança com TDAH, que você sabe que ele pode dar a resposta, ou dar dicas não verbais, tais como ficar perto dela, ou tocar de leve em seu ombro, pode trazer a criança de volta ao foco.

SOLUÇÕES PARA PRESTAR ATENÇÃO EM CASA

Estabeleça uma rotina diária de tarefas da escola. Algumas crianças precisam de uma pausa entre a escola e as tarefas ou podem precisar de frequentes pausas entre as tarefas. Descubra o que funciona melhor para seu filho a fim de auxiliá-lo a evitar as distrações e as procrastinações (deixar para depois).

Auxilie seu filho com TDAH a se ligar em ambiente livre de distrações. Às vezes, o melhor ambiente de aprendizagem pode ser realmente a mesa da cozinha, com música tocando ao fundo. Experimente até que descubra o lugar ideal de aprendizagem.

Dê a partida para ele. Sente-se com seu filho e assegure-se de que ele entende o que é necessário para cada tarefa.

Supervisione conforme for necessário. A maioria das crianças com TDAH precisa de significativa supervisão do adulto par manter-se em ação. Conforme a situação melhore e a criança amadureça, você pode sair de uma supervisão constante para frequentes checagens, para certificar-se de que seu filho mantém-se na tarefa.

Permita pequenas interrupções entre as tarefas. Faça seu filho alongar-se ou comer um lanche após o final de uma tarefa. Isso pode ajudar a fazer o trabalho dele mais fácil de administrar.

Divida tarefas muito longas. Dividir longas tarefas em pedaços, cada um com um objetivo bem definido. Se o seu filho perceber como uma tarefa pode ser mais bem manejada, ele terá menos tendência a se tornar distraído.

Updated on August 23, 2019 ADDitude. New Hope Media LLC. All rights reserved.



quinta-feira, 18 de abril de 2019

TDAH E TEMPO DE TELA (SMARTPHONE, TABLET, COMPUTADOR) 447


TDAH - Mais tempo de tela = Mais problemas de comportamento em pré-escolares
 Por: Amy Orciari Herman        -       Editado por Richard Saitz, MD. MPH. 
Quanto mais tempo por de tela por dia têm os pré-escolares, maior a chance de que apresentem problemas de comportamento, de acordo com uma pesquisa em PLOS One.
Pesquisadores no Canadá estudaram 2.400 crianças cujos pais completaram questionários sobre o tempo que as crianças gastavam vendo tela quando tinham entre 3 e 5 anos de idade, assim como as avaliações de comportamento na idade de 5 anos.
No total, 1,2% das crianças apresentaram problemas exteriorizados com a idade de 5 anos (por exemplo: desatenção, agressividade) e 2,5% tiveram problemas internalizados (por exemplo: ansiedade, depressão). Em comparação com as crianças que obtiveram menos de 30 minutos de exposição à telas diariamente, as que tiveram mais de 2 horas de exposição apresentaram riscos significativamente maiores de problemas externalizados, internalizados e de todos os problemas de comportamento. Em particular, crianças que tiveram exposição maior do que 2 horas por dia eram 6 vezes mais propensas a apresentarem transtornos de desatenção. O tempo excessivo de exposição a telas também estava associado a aumento de quase 8 vezes de significativos sintomas de TDAH.
Foi observado que maior atividade física parecia proteger contra os problemas de comportamento.