"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

terça-feira, 23 de novembro de 2010

37- Álcool e Medicamentos para o TDAH: O que é Seguro?

Como o álcool interage com sua medicação para o TDAH do adulto? Leia este conselho do especialista antes de consumir bebidas alcoólicas.  Por Larry Silver, M.D., ADDitude Magazine

Cada pessoa tem seu modo especial de aproveitar os feriados, e, para muitas, isto significa beber um copo de vinho, um coquetel ou uma cerveja.

Mas a bebida combina com o TDAH e com a medicação que você está usando para o tratamento? E quais são os riscos de se embebedar se o seu TDAH não estiver sendo tratado?

Menos é mais

Beber com moderação é atitude sábia para todo mundo, mas é imperativo para os adultos com TDAH. O álcool pode ser perigoso para a sua saúde e a sua segurança.

Os medicamentos estimulantes geralmente usados para tratar o TDAH podem intensificar os efeitos do álcool assim como os da maconha ou da cocaína. A quantidade de álcool que geralmente causaria uma bebedeira naqueles que não estivessem tomando medicamento pode resultar em coma alcoólico nos que estão tomando medicação. Antidepressivos também podem causar a mesma combinação de efeitos.

Meu conselho? Diga NÃO a mais de uma cerveja ou a um copo de vinho. Tente com vagar um drinque e mude para uma bebida não alcoólica. Se você não for capaz de ficar somente no primeiro drinque, eu sugiro que você não tome o remédio neste dia. Para os que estão usando medicamentos de longa ação, esse recurso não pode ser usado. Eles permanecem no seu organismo por muito tempo depois de você os ter tomado, então, fale com o seu médico sobre como interromper a medicação de longa ação pode ser seguro ou não.

Lembre-se, também, que se você falha a medicação naquela noite, você poderá ficar hiperativo, desatento, ou impulsivo, e agir de modo impróprio ou se envolver em comportamentos de risco. Peça para um amigo de confiança ficar de olho em você e para que alguém que não bebeu o leve de volta para casa.

O tratamento é a chave

Os que têm TDAH sem tratamento têm outro problema: usar e talvez abusar do álcool para se sentir melhor consigo mesmos. As frustrações diárias, os problemas de trabalho, e a baixa auto-estima podem fazer com que o TDAH não tratado promova um desequilíbrio emocional. É por isso que os adolescentes e os adultos não tratados correm um maior risco de dependência do álcool.

Os estudos estatísticos mostram que a probabilidade de se tornar dependente do álcool ou de drogas é igual para as pessoas tratadas e a população em geral. Mas há um aumento da probabilidade de se tornar dependente de álcool se o TDAH não for tratado.

Então, se você estiver recebendo tratamento para o TDAH, não se sinta obrigado a se abster nesses feriados. E se você estiver no grupo dos não tratados, esses feriados serão uma ótima ocasião para dar-se a si mesmo uma avaliação minuciosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário