"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

312- O Que Aconteceu? Ex-namorado com TDAH.


Postado por MayaL em Couples with one ADHD partner on Dec. 08, 2013 at 2:29pm

Esta grande questão está me incomodando nos últimos 10 meses: "O que aconteceu?"

Namorei esse rapaz com TDAH, e foi perfeito. Estava apaixonada pela primeira vez na minha vida. Ele tomava Adderal e me disse logo no início que tinha TDAH. Nunca notei nada de diferente nele, exceto as ocasionais crises de irritação ou de raiva, o que era muito diferente do seu jeito amoroso habitual .

Um dia, descobri que ele parou de tomar sua medicação de modo repentino. Aparentemente ele estava tomando três vezes mais do que deveria. Mais tarde, no mesmo dia (em que ele parou), ele me mandou um email dizendo que não sentia nada por mim e que eu deveria seguir em frente na minha vida (era uma carta muito doce, mas, mesmo assim, devastadora). Duas semanas depois disso, tivemos uma discussão online sobre o fato dele ter se recusado a me ver quando ele estava na cidade, dizendo que eu era "maluca" e "muito dependente dele".

Depois disso, ele me deletou da rede social. Ainda não falei com ele depois desse dia, e nossas discussões foram todas online.

Ainda fico me perguntando o que aconteceu, o que eu fiz?. Meus amigos e nossos amigos em comum, todos, fazem a mesma pergunta.

Li online e descobri que ele pode ter hiperfocalizado nossa relação no início e, então, mudou o foco para alguma outra coisa.

Também fico me perguntando se isso poderia ser simplesmente por causa do TDAH, ou porque ele parou de tomar sua medicação.

Ou pode ser porque ele só estava sendo infantil.

Apreciaria muito algumas respostas sobre esse assunto, que me ajudaria a tocar a vida para a frente.

PS: Ah, devo acrescentar: ele tem 20 anos de idade e eu tenho 24. Entendo que pode parecer confuso porque eu me refiro a ele como um "menino" (boy). Postado por MayaL on Dec 08, 2013 at 2:37 pm

Resposta 1: YellaRyan, on Dec 09, 2013 at 4:35 am

Ele só está sendo um menino com TDAH. Eles ficam chateados com as coisas, invocados com as coisas até o ponto da paranóia.

Muitas pessoas com TDAH nunca conseguem sustentar relacionamentos de longa duração, como os namoros, empregos, bons relacionamentos familiares. Então, nesse caso, se ele disse "não é com você, é comigo", ele estava absolutamente correto. E, como você pode ver pela acusação de estar sendo muito dependente dele, ele provavelmente teve aquele pensamento algum dia, e você disse algo totalmente inócuo como "senti sua falta", e ele chegou à paranóia. Não há dúvida que ele pensa mal de você, uma vez que cortou toda a comunicação.

Então, sim, é um problema do TDAH e não há nada a ser feito sobre isso. Nem pense em convencê-lo sobre nada, porque ele vai ficar com o cérebro paranóico em chamas. Lamente, perdoe, ele é assim, e siga em frente. E agora você sabe, quando algum rapaz bonito lhe disser que tem TDAH, corra, não ande, na direção oposta. [NT: Putz, que conselho mais egoísta...pra dizer o menos.]

Réplica de MayaL

Obrigado por sua resposta.

É comum que isso aconteça de repente?

Dei a ele muito espaço, porque percebi que ele precisava, mas, então ele me contatou dizendo que tinha sentido minha falta e que tinha comprado uma passagem de avião para me encontrar (fazia dois meses que nos havíamos encontrado). Dois dias depois ele me mandou aquele email.

Você acha que ele ter parado de tomar o remédio no mesmo dia teria algo a ver com tudo, ou ele só ficou chateado comigo no mesmo dia?

Ambos somos artistas, e depois que ele me deletou, continuamos a ter "contato" por meio de suas músicas e minhas poesias. Não com as palavras mais bonitas como antes, e, como você previamente mencionou, isso provavelmente fez sua paranóia. Mas, um dia, depois de fazer uma de suas músicas não tão amáveis a meu respeito, ele me adicionou no facebook novamente. Armistício?

Devo acrescentar que recentemente fui diagnosticada também com TDAH (desatenção), [NT: e não se lembrou de falar isso logo de cara?] mas depois desse rompimento começo a me perguntar se tenho algum traço de personalidade borderline. Tem sido muito difícil tentar entender porque diabos eu não consigo me desligar desse sujeito depois de dez meses. Pensei que eu ficaria cheia dele primeiro, como costuma ser o caso em meus relacionamentos. Mas desde que ele é o único cara por quem eu me apaixonei de verdade, pode ser a velha síndrome do primeiro amor. Não sei.

Agradeço você ter gastado seu tempo para responder ao meu post.

[Mas que menina desligada...]

Resposta 2 : BexIssues on Dec 09 2013 at 11:05 pm

YellaRyan está absolutamente certa, ela explicou perfeitamente, o conselho deve ser aceito e seguir em frente com sua vida. Muita sorte.

Resposta 3: Benevolence on Dec 10, 2013 at 9:20 pm

Para YellaRyan. O conselho de "correr da próxima vez que algum rapaz bonito lhe disser que tem TDAH" ser o que toda pessoa com TDAH quer ouvir. Nunca em sua vida!

Há modos de fazer funcionar os relacionamentos TDAH e para a pessoa com TDAH pode ser muito difícil. Achar que todos os que têm o TDAH têm o equivalente à peste bubônica é muito difícil de engolir.

Acho que o que precisa ser feito é avaliar do ponto de vista adulto, e isso seria:

1- Ele estava tomando o triplo de sua medicação - muito perigoso e essa não é a maneira de tomar a medicação.

2- Ele parou de tomar de repente; o que novamente é errado.

3- Ele parece não ter se educado a respeito de seu próprio TDAH.

4- Ele precisa de ajuda para lidar com o TDAH e a vida.

Tudo foi escolha dele, e só dele. Infelizmente para MayaL ela foi pega pelo hiperfoco do TDAH no início do relacionamento, mas foram as ações dele com o tratamento medicamentoso que realmente causaram o rompimento. Jogar todo mundo com TDAH nessa categoria é ultrajante. Todos nós temos nossos problemas com os relacionamentos, mas isso não significa que eles estão destinados ao fracasso. Com treinamento, educação e entendimento por parte das duas pessoas, pode ser construída uma sólida plataforma de relacionamento. Não estou dizendo que não será difícil e que não haverá alguns tropeços, mas, para a pessoa que aceite o TDAH e encontre as forças dele para usar e suas faltas sejam reconhecidas, então, haverá o potencial.

Enquanto você não tiver de lidar com seu próprio TDAH, mas tiver de lidar com o TDAH de um marido, sua raiva e ou ressentimento em ter de lidar com isso parecem estar encobrindo suas outras palavras de sabedoria. Espero que obtenha ajuda para sua situação. Lamento que você não esteja agindo como você é.

Por favor, não faça com que me sinta no dever de desistir de um relacionamento (eu, um homem solteiro com TDAH), porque sem esse tipo de esperança, o que existe?

Resposta 4: Mygardenispretty on Dec 11, 2013 at 12:05 am

Por favor não pense que todos os TDAHs não possam ter relacionamentos. Sou um TDAH desatento de alto funcionamento. Eu me eduquei a mim mesmo a respeito dessa desordem funcional. Sob o uso de Strattera, me sinto bem. Sou intuitivo e artístico, e me comunico muito bem. Sou curioso. Essas são as coisas positivas do TDAH. Hiperfoco. Um traço muito bom. Aprenda seus positivos, compreenda suas deficiências. Seja honesta sobre si mesma em novos relacionamentos. Você pode ter sucesso nos relacionamentos. Pense em acessar outros com TDAH e em aprender o que eles realmente sabem e fazem com isso. De algumas pessoas normais você deveria mesmo fugir.
Publicado em ADDitude

Um comentário: