"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

313- As Melhores Estratégias de Disciplina para as Crianças com TDAH (1a. parte)

Você falou para o seu filho pegar a roupa suja no chão do quarto dele. Nem uma meia foi posta no cesto de roupa suja. Ele não te escutou ou ele te ignorou? Contrariado, você gritou com ele e, pior, sentiu que estava ficando bravo e à beira de uma luta pelo poder. Então vieram os castigos, não ver TV por uma semana, nenhuma visita aos amigos por um mês e qualquer outra coisa que possa pensar quando está enfurecido.
O incidente custa muito caro para todos: Seu filho se sente enraivecido e desmoralizado, e você se sente tudo menos um pai amoroso. E para quê? Uma pilha de roupa suja precisando de uma máquina de lavar roupas.
Todos os pais querem que seus filhos sejam felizes e bem ajustados. Mas os pais também querem que eles sejam respeitosos e obedientes. Naturalmente, crianças - particularmente as crianças com TDAH - têm suas próprias idéias. Em vez de fazer o que lhe pediram, as crianças com TDAH ignoram suas tarefas de casa, incomodam seus irmão e se esquecem de dar comida para o cachorro. Deixam as toalhas molhadas no chão do banheiro e espalhas os blocos de Lego pela sala de estar. Elas respondem, choramingam, embirram, ou se comportam mal de outro jeito. Todo dia traz um novo caos - e ocasiões para um pai castigar.
Especialistas em educar filhos elaboraram todas as técnicas de disciplina. Aqui você encontrará 50 das melhores, divididas em cinco postagens. Segue a primeira postagem, com 10 estratégias.

1- Descubra um jeito melhor.

Transforme os momentos de disciplina em oportunidades de aprendizado. Lembre ao seu filho que todos nós cometemos erros, então convide-o a imaginar maneiras melhores de lidar com tentações semelhantes ou com o estresse no futuro. Escute as ideias dele e valorize sua contribuição. Não pode ser só do seu jeito ou rua.

2- Discuta por que é errado.

Esteja certo de que seu filho entenda como sua ação - ou omissão - magoou alguém ou vai contra as suas expectativas. Então, pergunte a ele se ele pensa que seria uma boa ideia pedir desculpas, sugerindo que ele provavelmente gostaria da mesma cortesia se seus sentimentos tivesses sido atingidos.

3- Seja razoável quando castigar seu filho.

Se a sua criança ou seu filho adolescente abusa de um privilégio, remova o privilégio - por pouco tempo. Proibir um adolescente de ter um celular por um mês porque ele excedeu seu plano de minutos de uso é exagerado. Ele é seu filho antes de tudo, não um criminoso [No Brasil, até quem está preso tem celular...]. Retirar o privilégio por um curto tempo - e permitir que permitir que seu adolescente o tenha de volta após desenvolver um plano para não exceder a conta da próxima vez - ensina a lição necessária.

4- Experimente contar de um a três.

Cada vez que seu filho fizer algo que não deveria fazer, erga um dedo e diga calmamente "É um". Se o comportamento continuar, erga dois dedos e diga "É dois". Se a criança ainda ignorar seu aviso, erga o terceiro dedo e diga "É três. Cinco minutos de castigo".
A criança, então, vai (ou é levada) para um castigo de cinco minutos em seu quarto. Se a criança não quiser se mexer, saia você da sala: faça uma caminhada rápida ao redor da casa, leia umas poucas páginas de um livro, feche-se no banheiro - mas não converse com sua criança, mesmo se ela tentar segui-lo. Você não grita, adula ou explica. Está claro para sua criança que ela tem uma escolha: ela pode obedecer de uma vez ou sofrer uma consequência.
Terminado o castigo, não comente o episódio nem faça uma preleção sobre ele. Acabou.

5- Combata o exagero de orientações.

Os pais frequentemente caem em um padrão de correções, supervisão e comentários disciplinadores desnecessários. Coisas tais como "Amarre os sapatos!" ou "Vista o casaco!" ou "Mastigue mais devagar". Apesar de suas boas intenções, comentários como esses irritam e rebaixam o seu filho - e prejudicam a habilidade dele de cuidar-se de si mesmo. Há momentos em que ficar longe de problemas é a melhor coisa. Deixe que o mundo grande e mau ensine ao seu filho o que funciona e o que não funciona.

6- Procure oportunidades para elogiar.
"Bom trabalho na prova de soletração, Amy!" ou "Você arrumou muito bem o seu quarto! E eu nem tive de mandar você fazer isso. Uau!" ou "Hoje você se arrumou bem depressa para ir para a escola. Que bom!". De modo ideal, você deveria elogiar seu filho quatro vezes mais do que o critica. Demonstre, com suas palavras e ações, que você acredita que ele pode cuidar-se de si mesmo - e ele provavelmente vai. Disciplina dever ser um problema menor.
7- Diga as coisas de dois modos diferentes.
Crianças diferentes respondem às ordens de modo diferente. Quando der ao seu filho uma tarefa - tal como deixar de lado os joguinhos - fale de dois modos. Diga, "Gostaria que você parasse de deixar seus jogos espalhados pelo quarto. Você pagou caro por eles e quer cuidar deles, correto?" Então, faça a mesma afirmação de um modo positivo: "Por favor, guarde seu joguinhos". É provável que ele entenderá a mensagem.
8- Estabeleça pontos de parada.
Pilotos de corrida periodicamente param seu carros no "pit stop" - para trocar pneus, botar mais combustível e falar sobre as estratégias de corrida com a equipe auxiliar. Faça o mesmo com seu filho quando as coisas ficarem tensas e você sentir vontade de gritar. Diga a ele que você quer ter uma parada no "pit stop" - uma conversa em particular em uma área sossegada da casa, onde ninguém vai interromper - ou, melhor ainda, no seu lugar preferido para tomar café. Estabelecer "pit stops" evitará uma briga feia da qual você se arrependeria mais tarde.
9- Encoraje a repetição.
Quando seu filho fizer besteira, com paciência, repita a situação - fazendo do modo correto. Se ele derruba um copo de refrigerante enquanto faz palhaçada ao redor da mesa, faça com que ele limpe a bagunça e encha outro copo. Aí, peça a ele que ponha o copo em outra posição na mesa e que fique bem comportado.
10- Faça uma pausa.
Conte até 10 antes de abrir sua boca; evitará um monte de grosseria verbal.

continua na 314
ADDitude

Nenhum comentário:

Postar um comentário