"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

139- TDAH (ADHD) - Preocupado? Leia isto.

O TDAH e a ansiedade geralmente andam de mãos dadas. Dez maneiras de ajudá-lo a se controlar. Por Sandy Maynard.

Muitos clientes que me procuram estão em transição ou em um processo de fazer algo novo, e trazem consigo suas várias preocupações. O velho chavão “Não se preocupe... as coisas vão dar certo”, não basta para aliviar a preocupação. Eles precisam de mais coisas além da minha garantia de que o trabalho denodado e a paciência farão o efeito, e que seus pensamentos negativos não são necessários.
Para eles, é reconfortante ouvir que 95% de suas preocupações nunca vão acontecer, mas isso não é o suficiente. Alguns ainda vão embora com pensamentos irritantes que promovem desconcentração, assim como limitam seus esforços para seguir em frente.
Como coach (treinador) em TDAH, eu quero sugestões proativas e positivas para dar aos meus clientes, e eu as encontrei no livro do Dr Edward Hallowell, “Worry” (Preocupação). Em “Worry”, o Dr. Hallowell dá 50 dicas para controlar a preocupação, e fornece inestimável visão sobre a “preocupação tóxica”. Seu livro ajuda os coaches a determinar se a quantidade de preocupação é excessiva ou o tipo de preocupação que é patológica, e se o encaminhamento para terapia é necessário. Ele explica como a preocupação se relaciona com a depressão, o transtorno obsessivo-compulsivo, o transtorno do pânico, a fobia social, a paranoia e o transtorno de ansiedade generalizada, todas essas, condições que excedem os objetivos do coaching (treinamento) e requerem tratamento por um profissional de saúde mental.
Surpreendentemente, o livro também descreve como a preocupação é benéfica. Quando nos preocupamos, isso nos alerta do perigo, assim, podemos tomar as medidas corretivas antes que seja muito tarde. Pelo pensamento em todas as coisas que podem dar errado, podemos tomar medidas que previnam a ocorrência de um desastre e que nos dê uma chance de sucesso. Em 1908, Yerkes e Dodson estudaram a ansiedade e o desempenho, e determinaram que o desempenho melhorava conforme aumentava o nível de ansiedade, mas somente até certo ponto. Neste ponto, o aumento da ansiedade começava a ter um efeito deletério, e o desempenho despencava montanha abaixo.
Agora, eu tenho 50 sugestões em um livro para dar como referência aos meus pacientes quando eu estiver sem outras opções. Muitas das dicas usam técnicas básicas de manejo do estresse que eu rotineiramente encorajo meus clientes a usar, mas é bom ter alternativas à mão para aqueles dias quando eu não estou tão concentrado como deveria estar! Abaixo, há as 10 dicas mais importantes da coach Sandy, do livro do Dr Hallowell. Algumas são velhas favoritas minhas, que eu tenho usado com grande sucesso, e outras são algumas que eu comecei a sugerir aos meus clientes, assim como eu mesmo as uso, mais e mais. São elas:
1.    Obtenha os fatos

Não assuma ou faça leitura da mente. A imaginação pode causar desastre com a espiral de preocupação.

2.    Reze ou medite

Se você já faz isso, você sabe quão eficaz a meditação pode ser para combater a preocupação, e se você ainda não faz isso, é tempo de começar a descobrir.

3.    Não veja muito TV nem leia muitos jornais e revistas

Esta é também uma das recomendações do Dr. Andrew Weil, então deve ser uma vencedora.

4.    Use o humor

Se eu mesmo não usasse o humor, ficaria com grandes problemas em alguns dias.

5.    Toque e se deixe tocar

Não há nada como um abraço para fazer suas preocupações desaparecerem.

6.    Tenha fé

Há um velho ditado que diz que, quando o medo bate à porta e a fé a abre... não há ninguém lá.

7.    Não ligue para as coisas pequenas

Esta esteve na minha lista de eliminadores de estresse por um longo tempo. Se você vai se preocupar, e nada pode detê-lo, ao menos se preocupe com algo realmente grande.

8.    Contrate especialistas para guiá-lo

Como coach em TDAH, eu sou contratado para ajudar, mas meus clientes geralmente precisam de recursos adicionais para diminuir sua preocupação, tal como um contador, ou consultor financeiro.

9.    Não beba demais nem use outras drogas como meio de fazer suas preocupações sumirem

As preocupações pioram quando você altera sua mente com álcool ou drogas.

10.  Nunca se preocupe sozinho

Bons amigos são de importância capital. Quando você divide suas mágoas com um amigo, você as corta pela metade, e quando você divide sua alegria, você a dobra. Quando você divide suas preocupações, elas quase desaparecem!

Há somente uma dica que eu acrescentaria à lista do Dr Hallowell, e é esta: Liste três coisas que você agradece neste momento. É difícil preocupar-se quando você tem uma “atitude de gratidão”, mas mesmo a gratidão precisa de degraus para ser alcançada. Pare agora e liste três coisas que você agradece hoje, e verifique como isso o faz sentir-se bem!

(Dr. Menegucci diz: "Se non è vero, è ben trovato.")

Nenhum comentário:

Postar um comentário