"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

sábado, 29 de outubro de 2011

153- Adultos com TDAH: Como construir habilidades sociais e evitar comportamento ofensivo acidental

Adultos com TDAH às vezes cometem gafes sociais até mesmo sem perceber. Aprenda aqui a reconhecer seus erros e aprenda as regras de falar e escutar que acompanham todas as conversas. Por Michele Novotni

Para os socialmente desajeitados, as gafes parecem inevitáveis – sua língua fica presa, ou sua boca fica solta. Para complicar as coisas, geralmente é visto como deselegante apontar os erros sociais, e assim, isto raramente é feito. Então, o ofensor  sem intenção pode nunca saber que tenha feito algo errado. Mas, imagine tentar aprender matemática se ninguém tiver lhe avisado que há a resposta certa e a errada. Como você poderia?

Leia a linguagem corporal para identificar os sinais de que você cometeu um erro

A primeira coisa a ver são as dicas de que você cometeu uma gafe. Gary, um cliente que eu tratei, queixava-se de que sua mulher geralmente ficava brava e saía da sala, batendo a porta sem nenhum aviso. Pedi a ele que procurasse por dicas de que ela estivesse ficando brava, para ver o que, se houvesse, fazia com que ela batesse a porta. Eu tinha certeza de que ela devia dar alguma indicação verbal ou não verbal de que estava ficando contrariada.

Depois de uma semana, ele voltou, muito excitado. “Doutora, você estava certa. Eu nunca havia notado antes, mas os olhos dela ficam semicerrados, ela fica vermelha. Cerra os dentes e aperta os lábios, e a voz dela fica mais aguda. Então ela sai da sala batendo a porta. Foi ótimo. Antes, eu nunca tinha percebido ela brava. Sempre pensava que ela somente tinha batido a porta.”

Assim, tive de trabalhar com ele no mudar  ou em explicar seu comportamento a sua mulher enquanto ele ainda pudesse. Na hora em que ela atingisse a fase de bater a porta, ela já não conseguiria falar ou ouvir.

Adulto TDAH desajeitado socializando

O ponto de vista da Maria

Ontem à noite convidei minha amiga, Lisa, para vir à minha casa. Quando ela chegou, eu a recebi na porta e elogiei sua aparência. Tentei iniciar vários diálogos, mas Lisa não falava muito, e foi embora em menos de uma hora. Depois que ela saiu, eu fiquei pensando o que estaria acontecendo de errado com ela. Na verdade, fiquei um pouco brava com sua visita tão curta.

O ponto de vista de Lisa

Fiquei contente que minha amiga, Maria, tenha me convidado para visitá-la ontem à noite, mas quando cheguei lá, ela disse, “Ei, você não fica tão gorda com essa roupa!” Fiquei arrasada. Meu rosto vermelho e meu olhar hostil deixaram bem claro que ela tinha ferido meus sentimentos, e fiquei a me perguntar por que Maria não me pediu desculpas. Depois de uma hora, como ela não houvesse se desculpado, eu decidi ir para casa.

Lisa foi vítima do equivalente TDAH ao nocaute de dois socos.

1.   Maria disse algo ofensivo, mas o fez sem intenção.

2.   Ela não notou a linguagem não verbal de sua amiga, que indicava que ela, Maria, havia cometido uma gafe.

Se as situações de Maria ou de Gary lhe parecem familiares, você, também, pode estar dando esses dois socos involuntariamente. Use estas estratégias para perceber as dicas e facilitar seus relacionamentos pessoais:

Mantendo a elegância social

Fique atento às dicas não verbais. As pessoas podem estar lhe dando dicas não verbais indicando seu desprazer. Estas incluem a linguagem corporal, tal como afastar-se de você, responder com poucas palavras, ou cruzar os braços ou as pernas. Note, também, as expressões faciais, como ruborização, caretas, aperto de lábios ou olhar ofendido ou raivoso.

Reveja a cena. Revise a conversa em sua mente para lembrar se você disse ou fez alguma coisa provocativa.

Peça o apoio dos amigos. Pergunte se você disse ou fez algo ofensivo. Se você estiver com problemas com sua esposa ou com alguém mais que lhe seja próximo, peça a essa pessoa para fale sobre sua raiva em vez de ficar lhe mandando dicas não verbais.

Leia sobre habilidades sociais. Reveja o livro “What does everybody else know that I don´t” (O que todo mundo sabe que eu não sei?) Dicas de habilidades sociais para adultos com TDAH (Novotni, 2000), para mais ajuda nesse assunto.

Procure assistência. Um conselheiro ou coach com experiência em TDAH adulto e em habilidades sociais pode ajudar.

Mesmo que, como Maria e Gary, ofender alguém não seja sua intenção, a ofensa pode acontecer muito frequentemente. Mas, com observação cuidadosa e mais persistência, você pode aprender a parar de dar aqueles dois socos antes que atinja, sem querer, o alvo.

Um comentário:

  1. tenho serios problemas de ofensa no meu trabalho, o que me faz estar sempre trocando de emprego, alias a troca e mais pela insatisfação mesmo, pq acho que não me tratam como eu gostaria, em alguns casos e coisa da minha cabeça em outros eu estou certa. Ocorreque fico streçada e ofendo principalmente os chefes que eu julgo idiotas, alguns apenas. e dai nao supoto mais o lugar e me demito

    ResponderExcluir