"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

sábado, 2 de junho de 2012

213- Comecem o jogo!


O conhecimento convencional diz que o videogame é uma distração que atrapalha o aprendizado. Mas, para os adolescentes com déficit de atenção, ele pode realmente oferecer um modo de auxiliar as funções executivas. Por Collin Guare

Se jogar videogame por horas a fio garantisse o sucesso futuro, eu seria hoje o presidente. Naturalmente, este não é o caso. Entretanto, muito da minha destreza mental e das minhas funções executivas aguçadas – habilidades cerebrais necessárias para executar tarefas – podem ser debitadas às minhas horas passadas na frente de uma tela. O jogo me ajudou a controlar as dificuldades relacionadas ao TDAH.

Embora os pais possam argumentar que o videogame causa distração, e é um obstáculo para a aprendizagem, a pesquisa mostra o contrário. Em seu livro, What Video Games Have to Teach Us About Learning and Literacy (O que o videogame tem a nos ensinar sobre aprendizagem e habilidade de leitura), James Paul Gee, Ph.D., diz que o que faz um jogo ser fascinante é sua capacidade de fornecer um ambiente coerente de aprendizado para os jogadores. Alguns videogames não são apenas uma experiência de aprendizagem, diz Gee, mas eles também facilitam a metacognição (resolução de problemas). Em outras palavras, bons jogos ensinam aos jogadores bons hábitos de aprendizagem.

Há muitos videogames que oferecem aos adolescentes a chance de ter diversão e de aperfeiçoar as habilidades executivas ao mesmo tempo. Aqui estão quatro exemplos que são populares, divertidos, mentalmente recompensadores e “maneiros”.

Portal e Portal 2

A série Portal é uma revolução na indústria do videogame. Ela privilegia o "jogar o jogo" em lugar de gráficos explosivos e narrativas complexas. Os jogadores navegam um personagem através de um centro de pesquisa abandonado usando um “canhão portal”. Ele abre as portas entre as câmaras pelas quais os jogadores ou objetos podem se mover. Portal é essencialmente um jogo de enigma situado num mundo tridimensional. O jogo é atraente e cognitivamente produtivo. Requer dos jogadores habilidades executivas como planejamento, gerenciamento do tempo e memória de trabalho, que as crianças com TDAH precisam aprimorar. Ganhadora de múltiplos prêmios de “jogo do ano” de várias publicações, a série Portal está disponível para Xbox, PS3 e usuários de computador. Classificada como T, para adolescentes.

Starcraft e Starcraft II: Asas da Liberdade

Pertencem à categoria conhecida como Jogos de Estratégia em Tempo Real (RTS), que são feitos com mapas e ambientes vistos do alto. Os jogadores constroem diversos tipos de unidades e colhem material, todos com o objetivo de se defender de um inimigo (um computador ou um ser humano) em uma batalha. As crianças precisam prestar a máxima atenção para garantir que estão produzindo unidades com eficiência mais alta, enquanto preveem os ataques e planejam os assaltos ao inimigo. Para ter sucesso, um jogador necessita do uso da metacognição, atenção sustentada e da memória de trabalho. Se você precisa de uma prova do prestígio deste jogo, veja os profissionais. Competições profissionais são realizadas para os dois jogos e rotineiramente oferecem prêmios de centenas de milhares de dólares. Disponíveis para Mac e Windows. Classificados como T, para adolescentes.

A Franquia Zelda

No reino dos “velhos, mas legais”, a série Zelda é soberana, especialmente a Ocarina do Tempo e a Majora´s Mask. Embora lançadas há mais de uma década, estes jogos estabeleceram o padrão industrial de como combinar narrativa, modo de jogar e estratégia. Os jogadores são desafiados por um enigma de palavras, que precisa de pensamento crítico e persistência dirigida a uma meta – em outras palavras, atingir uma meta apesar das distrações e dos interesses competitivos.

Estes jogos estão disponíveis para o sistema de jogo N64, embora versões novas tenham sido lançadas para Wii e Nintendo. Alguns adolescentes podem não gostar do N64 por causa da sua relativa pobreza gráfica, mas não foi sem uma razão que eu completei o Ocarina do Tempo no ano passado. O modo de jogar magnetizante e o desafio do Zelda são irresistíveis. Classificado como E, para todos.

Guitar Hero

Este é um jogo de exercício de foco e reflexo. Oferece aos adolescentes uma oportunidade de ajustar sua habilidade de prestar atenção e de transformar o estímulo visual em uma reação física. É preciso da memória de trabalho para dominar este jogo, porque ele se baseia na repetição de padrões complexos. Os jogadores usam controles de plástico com a forma de guitarra para seguir jogando com suas músicas preferidas. Disponível para PS2, PS3, Xbox 360, Wii, Windows e Mac, e Nintendo DS. Classificado como T, para adolescentes, embora algumas versões para Wii sejam classificadas como E, para todos.

Videogames não é apenas diversão. Eles oferecem às crianças com TDAH uma oportunidade, sem risco, de desenvolver as funções executivas que usarão na vida adulta. Então, eu digo aos pais, “Comecem o jogo!”. E se os seus filhos por acaso encontrarem um jogador chamado “gwhere?” nas suas jornadas online, diga-lhes para pegarem leve com ele. Na velhice, ele está um pouco enferrujado.

Este artigo saiu no número de verão de 2012 de ADDitude.

2 comentários:

  1. NOSSA ACHEI INCRÍVEL SUA VISÃO !

    Sou mãe de uma criança que a poucos meses foi diagnosticado com TDAH,e vejo como o videogame ajuda realmente a concentração e acalmar toda a ansiedade.
    Estou começando a ingressar no mundo dos blogs adoraria poder me corresponder para trocarmos ideias.
    gabrielklein@glomail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gabriela!
      Sou apenas o tradutor do artigo escrito por Collin Guare, publicado na revista ADDitude. Para trocar idéias, pode escrever para jamenegucci@gmail.com

      Excluir