"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

quarta-feira, 2 de julho de 2014

346- TDAH - Dez Erros de Tratamento Que Até Mesmo os Médicos Cometem


Regras de tratamento medicamentoso que seu médico pode não saber - mas que deveria - para diminuir os sintomas e otimizar o plano de tratamento. Por Gina Pera

Informe-se

Muitos adultos ainda encontram profissionais cujo conhecimento do manejo medicamentoso é pontual, incluindo psiquiatras que propagam grande especialização. Seja um consumidor de cuidados de saúde esperto e aprenda tudo o que puder sobre qualquer medicação antes de começar a tomá-la. Ao mesmo tempo, se o seu médico fizer uma das dez declarações seguintes, pode ser que esteja na hora de pular fora e encontrar um novo médico.

1- Meus pacientes adultos com TDAH se dão melhor com este medicamento estimulante.

Médicos que elegem estimulantes "favoritos" não têm uma base comprovada para assim agir, e estão apostando com as suas chances de sucesso. Cada uma das duas principais classes de medicação estimulante (metilfenidato e anfetaminas) pode funcionar para alguns pacientes com TDAH mas não ter efeito em outros. Não há nenhum modo de saber de antemão a que classe de estimulantes você responderá, até que você experimente.

2- Para um adulto do seu peso e altura, começo com esta dosagem.

A dose ótima da medicação não está relacionada com o peso ou a altura da pessoa.

3- Esta é uma dose média de início.

Não há nenhuma dose média de início. A escolha depende de muitos fatores, incluindo sua história de uso de estimulantes, diferenças genéticas, condições coexistentes e a gravidade dos seus sintomas. O cérebro é complexo, e os resultados diferem de pessoa a pessoa.

4- Aumentaremos a dose para 10 mg em duas semanas.

Assim como um profissional não pode prever qual medicação funcionará melhor para você, ou em qual dose de início, ele também não pode prever uma dose ótima final. A dose ótima é identificada por um método chamado titulação: o aumento cuidadoso da dose ao longo do tempo, até que os efeitos colaterais superem os efeitos benéficos, e, então, reduzindo para a dose anterior.

5- Então, como esta medicação está funcionando para você?

Julgar a eficiência da medicação precisa de mais coisas além de perguntar como você está indo. Requer um inventário cuidadoso das mudanças que você está sentindo depois do início da medicação e revisar regularmente o progresso do tratamento, identificando as melhoras ou os efeitos colaterais. Durante a titulação, os especialistas recomendam conversar com o médico semanalmente e marcar consultas a cada três ou quatro semanas.

6- Você vai ter uma grande melhora dos sintomas daqui para a frente.

A pesquisa nos fala muito sobre a eficiência da medicação estimulante, mas não podemos como a medicação afetará cada uma das pessoas. Qualquer efeito positivo não deveria ser exageradamente propagandeado. Na verdade, alguns sintomas podem melhorar dramaticamente em alguns dias, ou até mesmo horas. Mas é importante esperar para julgar o efeito completo, porque leva algum tempo para todos esses dados serem acumulados.

7- Se o estimulante atrapalhar seu sono, teremos que mudar para um não estimulante.

Os problemas de sono entre os pacientes com TDAH são multifacetados e pouco entendidos por muitos médicos. Cada vez mais, a pesquisa aponta para diferenças neurofisiológicas no ritmo circadiano, o relógio biológico interno que nos diz quando dormir. Algumas pessoas com TDAH dormem melhor com estimulantes, que param o "barulho cerebral" e aumentam o foco em ir dormir.

8- Sim, continue a consumir cafeína, se você gosta.

Muitos adultos com TDAH têm uma longa história de amor com a cafeína e com bebidas gasosas cafeinadas. Porém, a cafeína pode exacerbar os efeitos das medicações estimulantes, criando ansiedade e palpitações cardíacas. Você não pode determinar o que está causando esses efeitos - o estimulante ou a cafeína - até que gradualmente diminua a ingestão de cafeína antes de começar a usar os estimulantes.

9- Se você tem pressão alta, você não pode usar estimulantes.

Adultos com TDAH devem passar por um rigoroso exame físico e ter sua pressão arterial aferida antes de começar a usar qualquer medicação nova. Mas a idéia de que a hipertensão impeça a tomada de medicação para o TDAH é um mito. De fato, há medicações para o TDAH que abaixam a pressão arterial - como a guanfacina ou a atensina - e que podem ser usadas como alternativa ou junto com os estimulantes.

10- Se você acha que a medicação estimulante parou de funcionar para você, talvez devamos experimentar outra coisa.

Talvez a medicação  estimulante tenha parado de funcionar por razões neurobiológicas, ou talvez você tenha se  esquecido de como era sua vida antes de começar a usá-la. Depois de algumas semanas de experimentar a novidade da melhora dos sintomas, é fácil se esquecer de onde você veio e onde chegou. Manter anotações do seu progresso é a melhor maneira de saber se a medicação está funcionando.


ADDitude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário