"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
RUI BARBOSA

terça-feira, 26 de julho de 2011

120- É Transtorno Bipolar ou TDAH? (BMD or ADHD?)

Os sintomas do TDAH e do Transtorno Bipolar são frequentemente confundidos – e geralmente coexistem na mesma pessoa. Como fazer a distinção, e sugestões para o tratamento do transtorno bipolar associado ao TDAH, a seguir. Por William Dodson, M.D.

Pode ser bastante difícil obter-se um diagnóstico de TDAH, mas para complicar as coisas ainda mais, o TDAH geralmente coexiste com outros transtornos físicos e mentais. Uma revisão de adultos com TDAH demonstrou que 42% tinham outro transtorno psiquiátrico importante. Assim, a questão diagnóstica não é “é um ou o outro?”, mas sim “São ambos?”
Talvez o diagnóstico diferencial mais difícil a ser feito esteja entre o TDAH e o Transtorno Bipolar do Humor (TBH), porque eles apresentam muitos sintomas em comum, incluindo a instabilidade do humor, os surtos de energia e de inquietação, de falar sem parar, e de impaciência. Estima-se que cerca de 20% dos que são diagnosticados com TDAH também sofrem de um transtorno de humor do espectro bipolar – e o diagnóstico correto é crítico no tratamento do transtorno bipolar junto com TDAH.
TDAH
O TDAH é caracterizado por níveis significativamente mais altos de desatenção, distração, impulsividade e de inquietação física do que seria esperado em pessoa de idade e desenvolvimento semelhantes. Para o diagnóstico do TDAH, tais sintomas precisam estar consistentemente presentes e serem prejudiciais. O TDAH é cerca de 10 vezes mais comum do que o TBH na população em geral.
TBH
Por definição diagnóstica, os transtornos do humor são “transtornos do nível ou da intensidade do humor nos quais o humor tem vida própria, separado dos eventos da vida da pessoa e fora de sua vontade e do controle consciente”. Em pessoas com TBH, sentimentos intensos de felicidade ou de tristeza, de alta energia (chamada “mania”), ou de baixa energia (chamada “depressão”) mudam sem razão aparente em período de dias ou de semanas, e muitos persistem por semanas ou meses. Comumente, há períodos de meses a anos durante os quais o indivíduo não apresenta problemas.
Fazendo o diagnóstico
Por causa das várias características compartilhadas, há um risco elevado de um diagnóstico errado ou da falta de diagnóstico. Não obstante, o TDAH e o TBH podem ser distinguidos um do outro com base nestes seis fatores:
1- Idade de início: O TDAH é uma condição de toda a vida, com os sintomas aparentes (embora não necessariamente com prejuízos) pela idade de sete anos. Embora agora reconheçamos que as crianças possam desenvolver TBH, isso ainda é considerado raro. A maioria das pessoas que desenvolvem TBH tem seu primeiro episódio de doença afetiva depois dos 18 anos, co0m a média de 26 anos para o diagnóstico.
2- Consistência do prejuízo: O TDAH é crônico e está sempre presente. O TBH vem em episódios que se alternam com níveis mais ou menos normais de humor.
3- Fatores desencadeantes: As pessoas com TDAH são passionais, e têm reações emocionais intensas a eventos ou a fatores precipitantes, em suas vidas. Eventos felizes resultam em felicidade intensa e humor excitado. Eventos infelizes – especialmente a experiência de ser rejeitado, criticado ou provocado – promovem intensos sentimentos de tristeza. Com o TBH, as mudanças do humor vão e vêm sem nenhuma conexão com os eventos da vida.
4- Rapidez da mudança de humor: Como as mudanças de humor no TDAH quase sempre são precipitadas por eventos da vida, as mudanças parecem instantâneas. Eles têm humor normal em todos os aspectos, exceto na intensidade. São geralmente chamadas de crises ou explosões, por causa do início repentino. Em contraste, as mudanças de humor não precipitadas do TBH levam horas ou dias para ir de um estado ao outro.
5- Duração dos humores: embora as respostas a perdas graves e a rejeições possam durar semanas, as mudanças de humor do TDAH geralmente são medidas em horas. As mudanças de humor do TBH, pela definição do DSM-IV, precisam ser mantidas por ao menos duas semanas. Por exemplo, para apresentar o transtorno bipolar “de ciclo rápido”, uma pessoa precisa ter somente quatro mudanças de humor, de alto a baixo ou de baixo a alto, no período de 12 meses. Muitas pessoas com TDAH têm estas muitas mudanças de humor num só dia.
6- História familiar: Os dois transtornos aparecem em famílias, mas os indivíduos com TDAH quase sempre tem uma árvore familiar com múltiplos casos de TDAH. Os que têm TBH provavelmente terão menos ligações genéticas.
Tratamento combinado do TDAH e do TBH
Poucos artigos foram publicados sobre o tratamento de pessoas com TDAH e TBH. Minha experiência clínica, tendo visto mais de 100 pacientes com os dois transtornos, mostra que a coexistência do TDAH e do TBH pode ser tratada muito bem. É importante sempre diagnosticar e tratar o TBH em primeiro lugar, porque o tratamento do TDAH pode precipitar mania ou piorar o TBH.
Os resultados dos meus pacientes tratados tanto para o TDAH quanto para o TBH têm sido muito bons. A maioria foi capaz de retornar ao trabalho. Talvez o mais importante, eles relataram que se sentiam mais “normais” em seu humor e em sua capacidade de desempenhar seu papel de esposos, pais e empregados. É impossível determinar se esses resultados significativamente bons foram devidos ao aumento da estabilidade do humor, ou se o tratamento do TDAH auxilia na melhor aderência ao uso dos medicamentos. A chave é o reconhecimento de que ambos os diagnósticos estejam presentes e que os transtornos responderão de modo independente, mas coordenado, ao tratamento.

2 comentários:

  1. Boa noite, fazem 5 anos que me trato para bipolaridade. Este ano os professores reclamaram do meu filho pois dizem que ele tem atenção curta e que não presta atenção . Levei-o ao oftalmologista e foi diagnosticado problema na visão.
    Mas enquanto isso eu comecei a estudar sobre hiperatividade e cheguei a conclusão que eu sou hiperativa não bipolar .
    Gostaria de saber como posso fazer para falar com a psiquiatra que ela fez o diagnóstico errado.
    Eu teria que tomar 3 cps de lítio mas faz muito tempo que tomo duas , pois não vejo diferença nenhuma . É eu tenho tido uma vontade imensa de comer sal. Como muito mais que o normal.
    É com o lítio meus comportamentos e sentimentos seguem iguais. Nunca tive alucinações e essas coisas.
    Mas minha cabeça não pára nunca.
    Falo muito, sou briguenta, não levo desaforo para casa, odeio esperar, me perco nos meus pensamentos, não paro nunca, sempre estou fazendo algo, não penso em suicídio, nem em sexo exageradamente, sou gastadora.
    Se me tirar do sério fico furiosa e não sei parar até falar tudo o que penso e muitas vezes esqueço a metade do que disse. Não esqueço o que me fazem. Quando me apaixono faço qualquer coisa.
    Tenho dificuldade em me concentrar em coisas que não me chamam atenção,
    Etc
    Essa sao algumas das minhas características
    Se puderes me ajudar
    Att
    Alessandra

    ResponderExcluir
  2. Transtorno bipolar e TDAH podem aparecer juntos. Ambos podem ser hereditários. Peça uma segunda opinião a outro profissional.

    ResponderExcluir